POLÍTICA

Reforma ameaça Secretarias da Mulher e da Juventude

23 de março de 2018 às 09:43
Publicidade

Toledo – A Câmara de Vereadores de Toledo tem uma grande missão pela frente. A reforma administrativa proposta pelo Poder Executivo prevê a extinção de duas secretarias, da Mulher e da Juventude. Uma das únicas Secretarias da Mulher no Estado do Paraná, a pasta insiste em não morrer e pode trazer um ônus político para a administração de Lúcio de Marchi (PP).

No passado, algumas cidades tomaram Toledo como referência para a criação de estruturas de atendimento tanto aos jovens quanto à população feminina. Por conta disso, o projeto chegou à Casa de Leis causando muita polêmica.

Por um lado, a atual gestão argumenta que o limite prudencial estourado e a economia gerada pelas extinções justificam a decisão administrativa. Só que Toledo ainda não fez a conta dessa economia, portanto, não consegue pôr consistência na baixa das duas pastas. A Câmara de Vereadores já pediu o cálculo e espera por uma resposta numérica e consistente.

O destino dos serviços seria a Secretaria de Assistência Social. A atual gestora, Marisa Cardoso, responde pelas três pastas. “Eu não defendo a extinção, mas entendo que é preciso economizar no momento, logo, temos que cortar um pouco de cada lado para que o prefeito tenha condições de investimentos e que essa situação seja logo superada”, explica.

Marisa Cardoso afirma que outras possibilidades foram avaliadas, mas que o caminho mais coerente encontrado pela equipe de governo foi esse, mesmo ciente do desgaste político: “Não ignoramos o desgaste, mas as decisões precisam ser tomadas e o que precisamos é explicar para a população que a prestação de serviços não será alterada e que o orçamento aumenta e não sofre cortes”.

VAI OU RACHA

Marisa Cardoso é cuidadosa ao analisar a situação atual. A secretária argumenta que ambas as pastas estão enxutas e que são cobradas como secretarias, mas a estrutura humana não possibilita cumprir essa expectativa. “Se as secretarias forem mantidas, precisam ser equipadas com recursos humanos para que possam prestar um serviço de excelência, como merece a população de nossa cidade. No caso de extinção, os esforços serão redobrados e as estratégias estudadas para que nenhum atendimento deixe de receber investimento e atenção devida”, ilustra Marisa.

Com quatro vereadoras na Câmara, o prefeito Lúcio de Marchi pode encontrar dificuldades na aprovação da reforma. O que não deve ser diferente com os vereadores da “ala jovem” da Casa, quanto à extinção da pasta que atende a juventude.

Participe do nosso grupo no WhatsApp

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE