BANDEIRADA

Reabilitação é importante para a redução de sequelas de acidentes

06 de maio de 2022 às 08:22
Publicidade

 

 

Considerado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) um problema grave de saúde pública, os acidentes de trânsito estão entre as causas que mais matam brasileiros por ano – 89 pessoas por dia morrem em decorrência deste problema, segundo dados do banco de dados públicos do Sistema Único de Saúde (DataSUS).

Somente em 2021, de acordo com informações do Registro Nacional de Acidentes e Estatísticas de Trânsito (Renaest), foram registrados mais de 630 mil acidentes nas estradas brasileiras. Além disso, um estudo recente divulgado pela Associação Brasileira de Medicina do Tráfego (Abramet) alertou para o aumento de ocorrências de internação de motociclistas envolvidos em acidentes de trânsito no Brasil. Conforme o levantamento, em 2021, foi registrado um número 14,3% maior do que no ano anterior, com mais de 71 mil ocorrências.

Além do alto risco de óbito, muitas das lesões decorrentes de acidentes de trânsito podem deixar sequelas incapacitantes definitivas, principalmente se a vítima não receber um atendimento adequado de primeiros socorros e se houver demora para iniciar um programa de reabilitação correto e eficiente.

“Infelizmente, as estatísticas só trazem número de acidentes e de mortes, ou seja, faltam dados em relação ao número de sequelados e o consequente impacto socioeconômico”, destaca Andréa Thomaz, fisiatra da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo.

 

Lombar e cervical

A fisioterapeuta Michelle Lisidati Franchini, que também atua na Rede São Camilo SP, explica que o dano mais comum neste tipo de acidente está ligado à coluna lombar e cervical (pescoço).

Segundo ela, o problema também ocorre quando há colisão por trás, uma vez que o banco atua sobre as costas, empurrando a pessoa para frente. “Quem dirige com a cabeça muito afastada do encosto, por exemplo, tem maior probabilidade de sofrer danos na coluna, nestas situações.”

Além disso, a especialista destaca que os traumas mais comuns em acidentes de trânsito são aqueles que ocorrem por penetração, quando objetos cortantes atingem o corpo; por impacto, danificando os órgãos e tecidos; e por aceleração e/ou desaceleração, afetando os órgãos internos.

Dessa forma, como podem ocorrer vários tipos de lesões e muitas delas não são visíveis, o atendimento adequado (e preferencialmente o mais rápido possível) é fundamental para evitar piorar as lesões iniciais e minimizar os riscos de sequelas.

A especialista ressalta que o processo de reabilitação deve ser iniciado o quanto antes, tão logo o paciente esteja estável clinicamente. E é muito importante ter uma equipe multidisciplinar nos planos de cuidado destes pacientes, já que as sequelas podem não ser só físicas.

Participe do nosso grupo no WhatsApp

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE