Depois de largar na pole position, o quarteto formado por Assis Marcos Gurgacz, Pedro Gurgacz, Diogo Webber e Gustavo Fiore venceu a Prova 4 Horas de Kart de Cascavel, disputada sábado no Kartódromo Delci Damian. Essa é a primeira vez que Assis Marcos comemora um título no kart correndo em parceria com o filho Pedro.

O quarteto campeão completou 247 voltas e recebeu a bandeirada da vitória com uma vantagem de 17s210 para o trio formado por Fábio Fabiano, Flávio Fabiano e Matheus Wagner. Em terceiro se classificaram Edwardo Tanabe, Helio Neto e Samuel Cruz, que chegaram 55s699 depois dos campeões.

A estratégia foi determinante para a vitória de Assis, Pedro, Diogo e Gustavo. Ela foi montada pelo preparador Fernando Leme, que explica que tudo girou em torno das paradas. Pedro Gurgacz largou e imprimiu um ritmo muito forte, andando como se fosse treino classificatório. A estratégia começou logo na primeira parada, quando Assis foi para a pista e, ao completar uma volta, entrou para os boxes, fazendo a segunda parada e passando a pilotagem para Gustavo Fiore, que pilotou por 40 voltas. O Diogo fez mais uma parada assim e, com uma volta na pista, fez o pit stop para Pedro Gurgacz assumir a pilotagem. “Assim fizemos dois stint longos com o Pedro e o Gustavo. Depois, o Assis e o Diogo fizeram pilotagem conservadoras, visando não perder a vantagem que tínhamos. O Diogo foi o penúltimo a pilotar e fez 40 voltas conservadoras, muito seguras. Na parte final, ele passou para o Gustavo, que voltou a andar forte nas últimas voltas para garantirmos a vitória. Tudo funcionou como um relógio suíço, mas tenho que destacar a dedicação e o empenho de cada um dos quatro pilotos, seguindo o plano do início ao fim da prova”, frisa Fernando Leme.

A Prova 4 Horas encerrou a temporada do kartismo de Cascavel em 2020.

 

Resultado das 4 Horas de Kart de Cascavel

Pos.   Piloto          Tempo

1º)     Assis Marcos Gurgacz/Pedro Gurgacz/Gustavo Fiore/Diogo Webber         247 voltas

2º)     Fábio Fabiano/Flávio Fabiano/Matheus Wagner  a 17s210

3º)     Edwardo Tanabe/Helio Neto/Samuel Cruz a 55s699

4º)     Mailson Araújo/Ricardo Pinheiro/Mauricio Zaffari        a 1 volta

5º)     Marcos Fernandes/Luiz Koyama/Odair da Silva/Joelson Alves         a 2 voltas

6º)     Felipe Pedroso/Murilo Fiore    a 3 voltas

7º)     Edivan Monteiro/Júnior Flores         a 4 voltas

8º)     Diego Pilatti/Greg Marley Rubik/Ricardo Bortolatto      a 4 voltas

9º)     Marcos Fernandes/Joelson Alves/Luiz Koyama   a 6 voltas

10º)   William Zawoski/Matheus Sousa/Eduardo Avis/Lucas Krzesinski    a 7 voltas

11º)   Fábio Martins/Julio Mello/Diogo Cavalcante/Lucas Mosconi  a 8 voltas

12º)   Sandro Frare/Juliano dos Santos       a 9 voltas

13º)   Alexandre Marciniak/Renato Queiroz         a 16 voltas

Não completaram 75% da prova – 185 voltas

Claudecir Guligurski/Lucas Andioli/Denis de Oliveira

Valdinei Vieira dos Santos/Agnaldo Sampaio/Daniel Verona

Assis Marcos Gurgacz/Pedro Gurgacz/Renato Tibola/Gustavo Fiore

 

Fotos: Tiago Guedes/Divulgação

 

A largada foi ao estilo Le Mans

Pedro Gurgacz largou na pole e abriu caminho para a vitória do quarteto que contou com seu pai, Assis Marcos, Diogo Webber e Gustavo Fiore

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fórmula 1

A Fórmula 1 teve domingo, no Bahrein, um acidente que fazia muitos anos que não era registrado. Romain Grosjean bateu seu Haas contra o guard-haill ainda na primeira volta e se partiu ao meio, pegando fogo. Depois de 29 segundos, o piloto saiu do carro com as mãos queimadas. Foi levado ao hospital depois de ser atendido pelo sistema médico da prova.

 

 

Pietro Fittipaldi

Grosjean não corre no próximo fim de semana, quando a Fórmula 1 realiza mais um GP do Bahrein, só que pelo anel externo. Para o seu lugar, a Haas escalou o brasileiro Pietro Fittipaldi, neto do bicampeão mundial Émerson Fittipaldi. Assim, o Brasil volta a ter um piloto no grid da Fórmula 1 depois de três anos, quando Felipe Massa se aposentou.

 

 

Audi no Dakar

A Audi vai encarar um dos maiores desafios em esportes motorizados: a montadora irá disputar o Rali Dakar a partir de 2022, com um protótipo inovador, que combina um trem de força elétrico com uma bateria de alta voltagem e um conversor de energia altamente eficiente. No futuro, competições de rali estilo cross-country serão o foco da estratégia de automobilismo da fábrica.