O IDM (Instituto Décio Mertz) e o Sincovel (Sindicato dos Contabilistas de Cascavel e Região) lançaram no último sábado (14), o Projeto Música Social. O objetivo é atender crianças e adolescentes do Bairro Universitário, em Cascavel, com aulas semanais de violão e canto.

A reunião de abertura das atividades do projeto ocorreu para esclarecer aos pais e aos alunos inscritos como serão realizadas as atividades, além da apresentação dos professores que vão ministrar os cursos. “Essa interação foi muito importante, marcando esse grande passo que estamos dando, com esse projeto de responsabilidade social”, comenta o presidente do Sincovel, Diego Paim.

As aulas serão semanais e gratuitas. O projeto terá duração de 12 meses. “Foram adquiridos instrumentos e equipamentos profissionais como violões, caixas de som, microfones especiais para coral, teclado, estantes de partitura. Tudo isso para que os alunos consigam estudar com mais qualidade”, conta o vice-presidente do Sincovel, William Fischer.

No período de curso, também serão preparadas apresentações artísticas em locais públicos, com os participantes. “As aulas vão ocorrer graças ao apoio do Governo Federal, por meio da Lei de Incentivo à Cultura, e do apoio da Secretaria Especial da Cultura e do Ministério do Turismo. Precisamos ressaltar, também, o patrocínio de diversas empresas locais, que dispuseram parte de seu imposto de renda para ajudar a pagar as despesas do projeto e, principalmente, dos professores”, esclarece Fischer.

A primeira turma do curso teve sua aula na manhã desta segunda-feira (16). Durante o encontro, todos os protocolos de prevenção ao novo Coronavírus foram respeitados. “É uma alegria muito grande ver o projeto iniciando. O Sincovel sempre atuou de forma efetiva na defesa da Sociedade e essa ação reforça esse posicionamento da entidade”, relata o presidente do sindicato, Diego Paim.

Sidnei Mazutti, vereador e membro do Sincovel, era presidente do sindicato na gestão de 2015 a 2016, quando a ideia do Projeto Música Social surgiu e se diz orgulhoso de ver a implementação. “É um incentivo à cultura por meio da música. O projeto começa com aulas de violão e de canto, mas o objetivo é que ele se expanda, com outras modalidades”, comemora Mazutti.

“Este projeto só é possível por conta do apoio de diversas empresas, que destinaram parte dos seus impostos e acreditaram neste projeto como uma oportunidade de as crianças desenvolverem as habilidades culturais”, acrescenta o presidente do IDM, Marcelo André Mertz.