Pela primeira vez a Prefeitura reconhece o atraso nas obras do PDI (Programa de Desenvolvimento Integrado) – tanto que já pediu dilatação do prazo para execução de todos os serviços estabelecidos em contrato assinado com o BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento), pelo ex-prefeito, Edgar Bueno (PDT).

O acordo de empréstimo internacional estabelecia que todas as obras deveriam ficar prontas em dezembro deste ano, no entanto, agora o Município estima que serão necessários mais três meses para completar o PDI, ou seja, entregar tudo em março de 2019.

As obras que tiveram maiores complicações licitatórias foram a do alargamento da Rua Jacarezinho; abertura da Rua José de Sá Cavalcanti, binário da Rua Kennedy/Recife e a Rua Jacarezinho – onde hoje está o Terminal Leste; abertura da Rua Ipanema, ligando com a Avenida Rocha Pombo (R$ 3,288 milhões – já licitada) considerada estratégica por ligar o Periolo, ao Brasília e consequentemente ao Floresta e a duplicação da Avenida Italo Weber, que liga ao Aeroporto de Cascavel (R$ 3 milhões).

Recape asfáltico

Tem ainda o recape da Avenida Rocha Pombo, de R$ 2,5 milhões e recape da Avenida Assunção, com valor previsto em R$ 1,5 milhão. “Ficaram grandes obras para o fim do contrato e isso dificultou o cumprimento do prazo. Já tivemos o aval do BID quanto esse prazo de 90 dias”, explica o presidente do IPC (Instituto de Planejamento de Cascavel), Cletírio Feistler, que aponta atrasos na fase inicial que levaram ao acúmulo de serviços agora, prestes ao encerramento do contrato. “O contrato tem prazo de cinco anos: em três anos [da gestão de Edgar Bueno] foram executados 32%, restando 68% para apenas dois anos. Se ao menos 20% das obras fossem executadas por ano não teríamos essa necessidade de prazos”.

Tancredo

Quanto as obras da Avenida Tancredo Neves, os prazos seguem em ritmo normal e devem ser finalizadas até dezembro. A revitalização tem um custo de R$ 15 milhões.