Poliana Okimoto contou, com a medalha de bronze no peito, que se preparou para enfrentar qualquer condição adversa no mar de Coapacabana nesta segunda-feira. Quatro anos atrás, em Londres, sofreu hipotermia e abandonou a prova olímpica. Desta vez, além do treinamento, teve até acompanhamento psicológico para esquecer a experiência ruim e não temer a conhecida baixa temperatura da água da praia carioca.

– Londres foi uma experiência muito difícil pra mim, e este ano tentei deixar de lado isso. Tinha muita previsão de água fria (na Praia de Copacabana), e minha psicóloga, Regina Brandão, me ajudou. Treinei água fria, me preparei para água fria e água quente, para mar mexido – explicou, para emendar com uma brincadeira: – Deus é brasileiro, deixou o mar mais tranquilo e numa temperatura boa, consegui fazer a melhor prova da minha vida, fui muito consciente do que fazer.