Curitiba – O técnico Rogério Micale conhece bem a pressão vivida pelo seu colega Fernando Diniz, do Atlético-PR, para o jogo entre os times neste domingo. Paraná e Atlético-PR vivem um jejum de vitórias dentro do Brasileirão e que tem colocado em discussão a atuação deles próprios. No Paraná, o treinador ainda não conseguiu ver o seu time vencer no campeonato, enquanto no Atlético-PR, o estilo de Diniz não tem produzido resultados positivos há cinco jogos.

Em meio à situação delicada que ambos vivem, o treinador do Paraná disse que está tranquilo quanto à sua manutenção como comandante. Micale se segura nos números do time e o rendimento para demonstrar que acredita que a falta de vitórias deve ser um problema resolvido nas próximas partidas. Ele também afirma que seu trabalho tem sido acompanhado pelos dirigentes paranistas.

A presença de Fernando Diniz em um time de Série A e atraindo a atenção pela forma inovadora que o Atlético-PR tem demonstrado em campo, também foi motivo de avaliação de Micale. Ele lembra que seu colega de trabalho ainda paga o preço pela inovação. Após uma fase de vitórias e bom desempenho, Diniz tem que administrar a falta de vitórias e problemas nos setores ofensivo e defensivo.

Em meio à admiração, Micale também não escondeu que estuda o estilo do treinador adversário para saber anular os pontos fortes do Atlético-PR. Ele aponta estar confiante para que o time do Paraná saiba se portar dentro do que treinou durante a semana.

“É um jogo perigoso se o adversário não tiver muito atento e ciente das possibilidades que esse sistema proporciona. Nós estudamos, temos visto e trabalhamos muito essa semana. Vimos diversos jogos e várias formas de conter isso, e a gente espera que funcione. Estamos muito confiantes para esse jogo e a expectativa é muito grande”, diz.

Paraná e Atlético-PR se enfrentam neste domingo, às 11h, na Vila Capanema. O clássico será comandado por Vinicius Gonçalves Dias Araújo, auxiliado por Emerson Augusto de Carvalho e Alex Ang Ribeiro, todos de São Paulo.