O ex-senador Osmar Dias (PDT), pré-candidato ao governo do Paraná, anunciou ontem que não vai coligar com o MDB, presidido pelo senador Roberto Requião.

Segundo Osmar vinha argumentando, o principal problema da aliança estava na coligação dos pré-candidatos a deputados do PDT, que temiam que os emedebistas ficassem com as vagas da chapa na Câmara Federal e na Assembleia Legislativa.

Já o MDB queria a coligação exatamente por essa razão. Via uma chance maior de ao menos reeleger os quatro deputados federais hoje na bancada e um número parecido para a Assembleia. Contudo, sem o MDB Osmar teria apenas 10 segundos de tempo de TV e rádio.

A vaga de vice na chapa do pedetista ainda não foi definida. Apenas o Solidariedade confirmou apoio à chapa de Osmar até agora. O pedetista anda acompanhado de integrantes do Podemos, de seu irmão, senador Alvaro Dias, mas o partido ainda não confirmou apoio na chapa. O prazo para definição das coligações termina neste domingo (5).

Em convenção no dia 21 de julho, o MDB lançou a pré-candidatura do deputado federal João Arruda ao governo do Estado caso de a aliança com Osmar não vingasse.