Eduardo Pombo

O cenário empresarial no Brasil está instável nos últimos anos. Segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), 60% das empresas fecham em até cinco anos após serem criadas. Diante desse panorama, a redução de custos se torna vital para o crescimento e manutenção das atividades. Cada setor deve encontrar a melhor forma de se manter competitivo. Uma solução que já é tendência em países desenvolvidos é a terceirização de frota, sendo atualmente uma opção muito viável inclusive para pequenas empresas, que podem passar a focar em outras questões, como em seu core business, por exemplo.

Entre as vantagens da terceirização de frota está a possibilidade de se ter uma One Stop Solution, na qual o gestor concentra todas as informações em um único fornecedor, facilitando as ações do seu dia a dia, reduzindo sobrecarga com trabalho operacional e buscando uma função muito mais estratégica. Outros benefícios da prática são a redução de despesas com consumo de combustível, multas de trânsito e manutenções veiculares, além de sempre ter a disposição veículos em ótimo estado para uso.

Além da terceirização, é muito importante que exista a implementação de ferramentas de gestão de frota, como, por exemplo telemetria, cartão combustível, dispositivos de identificação automática. E principalmente uma plataforma sistêmica que colete dados de diferentes fontes e os transforme em informações para que o gestor de frota possa tomar as melhores ações, sempre orientados por especialistas com experiência no mercado de frotas. Além de possuir os módulos de telemetria e abastecimento, a plataforma integradora Ouro Fleet, serviço de gestão integrada de frotas da Ouro Verde, possui também importantes indicadores de desempenho em multas, manutenções e sinistros.

Dados levantados pela empresa apontam que soluções como essas, unidas a uma gestão participativa, tornam possível a redução de até 90% em multas de trânsito, 40% em manutenções corretivas e 50% em rodagens fora do horário de serviço. É importante que os gestores de frota entendam que mais do que responsáveis pelos veículos e condutores, eles têm em suas mãos a gerência da mobilidade da empresa. Com isso, é necessário que a gestão das informações coletadas de diferentes fontes seja foco, descentralizando operações e gerando relatórios em tempo real, para que cada jornada de trabalho seja medida como crescimento de receitas e não aumento de custos.

Vale lembrar que a ineficiência na gestão é o terceiro maior responsável por fechamentos de empresas, principalmente na administração dos recursos financeiros, segundo pesquisa do Sebrae-SP. Por isso, é importante a busca por ferramentas tecnológicas que permitam a avaliação em tempo real dos processos.

Quando falamos em Gestão de Frota, essa avaliação se faz mais necessária, visto que um pequeno desvio de conduta por um colaborador pode desencadear diversos problemas para a empresa e, principalmente, para a sociedade. E isso só é possível com um acompanhamento eficaz de registros de medição da velocidade e aceleração, análise de frenagens bruscas, desgaste prematuro de peças, cumprimento de manutenções preventivas, uso dos veículos fora da jornada de trabalho e até mesmo a pontuação da CNH dos condutores.

Por fim, é importante que a empresa busque também implementar uma política de frota, não apenas verificando possíveis erros e punindo condutores, mas sim conscientizando seus motoristas sobre a importância do respeito à legislação do trânsito, que além da redução de custos, gera também o aumento do nível de segurança da frota e de seus colaboradores.

Eduardo Pombo é especialista de Planejamento da Ouro Verde