Curitiba – O aumento aprovado pelo Senado aos ministros do STF (Superior Tribunal Federal) não caiu bem na opinião pública. Segundo o Instituto Paraná Pesquisas, para 89,4% dos brasileiros, o reajuste não foi justo. Outros 8,1% consideraram o aumento "justo". Para 91,1%, os senadores deveriam esperar a posse do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) para depois votar o aumento dos juízes e para 89% o Brasil não tem condições de arcar com os custos do reajuste aos ministros.

O Instituto Paraná Pesquisas entrevistou 2.008 eleitores de 9 a 11 de novembro em 170 cidades dos 26 estados mais o Distrito Federal. A margem de erro é de 2 pontos percentuais e o grau de confiança é de 95%.

Na última quarta-feira, 7, o Senado Federal aprovou o reajuste salarial de 16,38% dos ministros do STF e do procurador-geral da República, cargo hoje ocupado por Raquel Dodge. O salário dos magistrados hoje é de R$ 33,7 mil e passará a ser de R$ 39,2 mil.