Rio de Janeiro – Uma das grandes preocupações do Comitê Paralímpico Brasileiro é assegurar a manutenção do nível competitivo com a iminente aposentadoria de alguns ídolos e a chegada da nova geração paraolímpica. A mescla parece estar dando certo em Tóquio. Logo no primeiro dia, o Brasil já teve medalhas conquistas pelos novatos e pelos veteranos.

A natação foi a responsável pelo primeiro ouro com Gabriel Bandeira nos 100m borboleta, pela classe S14 (para atletas com deficiência intelectual), com o tempo de 54s76, marca que também valeu recorde paralímpico da prova. Outro Gabriel, o Gabriel Geraldo, faturou prata nos 100m costas pela classe S2. Entre os veteranos, Daniel Dias, de 33 anos, conquistou a medalha de bronze nos 200m livre da classe S5. É, simplesmente, o 25º pódio em Paralimpíadas em sua carreira. O paulista ainda tentará mais cinco medalhas na capital japonesa.

 

Estreias

No Goalball Masculino, o Brasil, atual bicampeão mundial da modalidade, goleou a Lituânia, campeã paralímpica nos Jogos do Rio 2016, por 11 a 2. O tênis de mesa teve duas vitórias com Cátia Cristina (classe 2), que venceu a finlandesa Aino Tapola por 3 sets a 1, enquanto David Andrade (classe 3), por W.O, derrotou o sueco Alexander Oehgren.

Nesta quinta-feira, a agenda brasileira está cheia e tem a promessa de começar o dia com mais medalhas.

Crédito: Olympics

 

AGENDA PARALÍMPICA (Horários de Brasília)

5h30 Esgrima Individual Finais

6h     Tênis de Mesa

6h15 Basquete Cadeirante

8h30 Hipismo Adestramento

21h   Tiro com Arco

21h06         Natação

21h30         Remo Skiff

21h30         Atletismo

22h   Vôlei Sentado

22h30         Goalball

22h30         Judô

22h35         Ciclismo Perseguição

23h   Tênis

23h30         Rúgbi Cadeirante