Toledo – Ao contrário do ano passado, quando a safra atrasou em um mês, neste ano ela está bem adiantada. Tanto que mais de 30% das lavouras destinadas à soja já estão cultivadas na região oeste do Paraná e ao menos um terço delas emergiu, ou seja, há a planta brotada no solo.

Segundo o técnico do Deral (Departamento de Economia Rural) da Seab (Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento) de Cascavel José Pértille, a região onde a soja está mais avançada é perto de Cafelândia, além de alguns municípios lindeiros ao Lago de Itaipu.

Em todo o oeste, considerando as regionais de Cascavel (28 municípios) e de Toledo (20 municípios), são quase 1,1 milhão de hectares que prometem uma produção de 3,9 milhões de toneladas da oleaginosa.

A expectativa é para que hoje, nos municípios onde choveu menos no fim de semana, as máquinas voltem ao campo para intensificar a semeadura. Se isso não puder ser feito nesta terça e quarta-feira, a condição só será novamente favorecida no fim de semana, pois volta a chover no meio desta semana em volume que pode ultrapassar os 20 milímetros deixando assim o solo bastante encharcado.

Aliás, chuva não tem sido o problema para os sojicultores neste momento, bem diferente do que aconteceu na safra de verão passada quando a estiagem se prolongou por um mês e meio atrasando todo o cultivo e comprometendo os posteriores. Desde o início do mês já choveu na região, em média, mais de 80 milímetros.

Dos mais de 300 mil hectares cultivados, todos estão em desenvolvimento vegetativo. A expectativa é para que até a primeira quinzena de outubro toda área já tenha sido cultivada.

Colheita do trigo

Boa parte de quem ainda não plantou soja é porque aguarda a colheita do trigo. Na região, 12% das lavouras foram colhidas. Isso significa que, dos 195,6 mil hectares cultivados com o cereal na safra de inverno, área 70% maior que a registrada ano passado, 21 mil hectares já foram colhidos.

Segundo o técnico do Deral José Pértille, a qualidade do trigo no oeste é considerada adequada e caminha para uma boa safra. “A qualidade do trigo colhido na região é boa e a produtividade não tem registrado quebra, então trabalhamos com a expectativa inicial de produção, sem alterações até o momento. Claro que chuva em excesso preocupa, mas por enquanto está tudo dentro da normalidade”, destacou.

Os relatórios do Deral indicam colheita de 608 mil toneladas neste ano, ou seja, 11% da previsão de toda safra nacional onde se espera colher 5,5 milhões de toneladas. “O percentual já colhido está dentro do esperado e, se o tempo permitir nesta terça, as máquinas voltam para o campo para intensificar a colheita e reforçar o plantio da soja”, seguiu.

Milho safrinha

Na região oeste a estimativa do Deral é de que 99% das lavouras de milho safrinha tenham sido colhidas. As perdas devem ser mantidas nos 20% já anunciados no início da colheita, provocadas pelas interferências do clima.

O oeste deverá produzir, em 730 mil hectares, algo próximo de 4 milhões de toneladas. A previsão inicial eram 5 milhões. Esses números só devem ser finalizados na próxima semana.