A Sanepar precisou abrir, nesta segunda-feira (02), o registro do Lago Municipal de Cascavel para poder complementar o volume de água ideal para atender a demanda da cidade. Os quatros rios que abastecem a cidade de Cascavel (Cascavel, Peroba, Saltinho e São José) apresentam redução média de 40% no volume de água, e os 16 poços que auxiliam na produção de água tratada não recuperaram seus volumes médios desde 2019, em razão da estiagem prolongada.

O registro, que estava fechado desde o início de dezembro do ano passado, foi aberto em 30%. A gerente Rita Camana explica que essa medida foi tomada somente agora porque a captação do Rio São José estava atendendo a demanda até o momento.

“Desde a entrada em operação da nova captação vínhamos conseguindo produzir e distribuir água dentro das expectativas. Porém, com a redução dos níveis dos nossos mananciais, o lago municipal volta a desempenhar seu papel de regulador do Rio Cascavel”, destaca Rita.

As chuvas de 2020 e 2021 estão abaixo da média história. Nos 20 anos anteriores (2000-2019) a média de janeiro a julho foi de 1,2 mil milímetros. No ano passado, foram registrados somente 720 mm no mesmo período e, neste ano, a precipitação acumulada chegou aos 843, sendo que 411 mm ocorreram no mês de janeiro.

A avaliação do sistema continuará sendo feita diariamente e, se a situação se agravar, não está descartada a possibilidade de retorno do rodízio.

USO RACIONAL – Agora, mais do que nunca, é necessário o uso racional da água com prioridade para a alimentação e a higiene pessoal. As limpezas pesadas, lavagens de veículos, calçadas, fachadas e a irrigação de hortas e jardins são atividades que devem ser adiadas até que a situação volte à normalidade.