POLÍTICA

Justiça nega liminar e entidades pedem que feriados virem pontos facultativos

13 de abril de 2021 às 08:30
Publicidade

Foz do Iguaçu – A Justiça negou o mandado de segurança impetrado pela Acifi (Associação Comercial e Empresarial de Foz do Iguaçu) contra as medidas de restrição decretadas pelo prefeito Chico Brasileiro. A decisão é do juiz da 1ª Vara da Fazenda Pública de Foz do Iguaçu, Rodrigo Luiz Jacomin.

Conforme o magistrado, não é cabível mandado de segurança para discutir medidas do Poder Executivo. Dessa forma, a liminar não foi apropriada. Segundo o juiz, não cabe nenhum tipo de ação contra o Poder Executivo quando estabelece regras contra a covid-19.Para amenizar a crise, a Acifi e o Sindilojas (Sindicato Empresarial do Comércio Varejista) entregaram ontem ao prefeito pedido para tornar pontos facultativos cinco feriados deste semestre.

O requerimento indica os feriados de 21 de abril (Tiradentes), 1º de maio (Dia do Trabalhador) e 3 de junho (Corpus Christi), além dos feriados locais de 10 de junho (aniversário do Município) e 24 de junho (Padroeiro São João Batista). Todas as datas caem entre segunda e sábado.

O pedido tem como objetivo amenizar a crise econômica decorrente da pandemia do novo coronavírus. As entidades reivindicam que “pelo menos seja facultada às empresas a abertura nesses dias, visando minimizar um pouco o impacto financeiro sofrido pela covid-19”.

Segundo Itacir Mayer, do Sindilojas, tornar os feriados pontos facultativos dá um fôlego momentâneo aos estabelecimentos, em especial ao comércio. “Uma vez a prefeitura decretando a medida caberá às categorias entrarem em acordo para o funcionamento nas datas possíveis”, afirma.

Chico Brasileiro se comprometeu a levar a proposta à Procuradoria-Geral do Município. O prefeito antecipou que o Poder Executivo tem prerrogativa quanto aos dois feriados municipais de junho, porém os feriados nacionais dependem de uma análise do corpo técnico jurídico da prefeitura.

Participe do nosso grupo no WhatsApp

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE