Curitiba – O juiz Fernando Bardelli Silva Fischer, da 13ª Vara Criminal de Curitiba, onde tramita a ação penal derivada da Operação Radiopatrulha, disse ao STJ (Superior Tribunal de Justiça) que a defesa do ex-governador do Paraná Beto Richa (PSDB) e do seu irmão Pepe Richa, ex-secretário de Infraestrutura e Logística, tenta “protelar” o processo, utilizando-se de “claro subterfúgio” e trazendo “considerável prejuízo à administração da Justiça”. A manifestação do juiz de primeiro grau foi encaminhada à ministra Laurita Vaz, do STJ, nessa terça-feira (5).

A ação penal da Operação na qual Beto e Pepe Richa são réus foi suspensa na noite de quinta-feira (31) por decisão liminar do presidente do STJ, ministro João Otávio de Noronha, que acolheu pedido dos irmãos Richa, no âmbito de um habeas corpus (HC 491.061).

O mérito do HC ainda será analisado, daí a manifestação do juiz, que defende a retomada do processo.