Informe da redação:Separação de Ministérios, Fritura de Moro, Bloqueio de bens de ex-prefeito e ausências na Câmara

Retaliação?

O presidente Jair Bolsonaro admitiu ontem separar a segurança do Ministério da Justiça, hoje comandado por Sergio Moro. Se isso acontecer, Moro ficará só com a Justiça. Para os encrenqueiros de plantão, a decisão seria uma retaliação à participação de Moro no programa Roda Viva, na última segunda. E teve repercussão. Em menos de 48 horas o programa passou de 1 milhão de visualizações no YouTube e chegou ao primeiro lugar dos assuntos mundialmente mais comentados do Twitter.

Nova chefia

E parece que tem mais fritura… A revista Crusoé diz que o presidente Jair Bolsonaro já tomou a decisão de trocar o diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo. A mudança, segundo aliados do presidente, deve ocorrer em breve: “Está bem adiantado. Acho que até o Carnaval isso acontece”, afirmou à Crusoé uma fonte com acesso direto a Bolsonaro. A chefia da PF também é da alçada de Moro, pelo menos enquanto o ministério não for desmembrado. Depois, já era!

Eu fico!

Passada a euforia da saída de Bolsonaro do PSL, aos poucos os ânimos vão se assentando e boa parte que prometia seguir o “mito” já diz que não é bem assim. Dos oito deputados estaduais do PSL no Paraná, pelo menos metade quer disputar as eleições em outubro e não pretende mais sair da sigla nem trocar o certo pelo duvidoso.  O caso mais emblemático é o do deputado Delegado Francischini, que coordenou a campanha de Bolsonaro no Paraná em 2018, que já avisou que continuará no PSL para manter sua pré-candidatura à Prefeitura de Curitiba.

Cadê as faltas?

Mais de 2 mil ausências parlamentares em sessões plenárias do ano passado estão “escondidas” no site da Câmara dos Deputados. A Casa alega “problemas técnicos”. A falha fez com que o total de faltas publicadas no perfil de cada deputado seja 21% menor que o número real. As informações são do Estadão. Pela página dos deputados, há 8.244 faltas, mas na verdade eles faltaram 10.453 vezes.

Passou perto

O mais faltoso do ano foi o deputado paraense José Priante, que faltou a 63 das 168 sessões plenárias, ou seja, 37,5%. Ele não conseguiu justificar 44 das faltas. Pertinho do limite para perder o mandato, que é de 46 faltas sem justificativas.

Luz paga I

O governo do Paraná isentou de pagamento de 1,9 milhão de faturas de energia elétrica para 286 mil famílias de baixa renda em 2019, inscritas no programa social Luz Fraterna, gerido pela unidade técnica do programa Nossa Gente Paraná, da Secretaria da Justiça, Família e Trabalho, em parceria com cinco companhias elétricas.

Luz paga II

O investimento total foi de R$ 45,3 milhões, maior registro da série histórica do programa. Desde 2011, 868,4 mil famílias foram beneficiadas, com 18,3 milhões de faturas isentas e investimento global de R$ 310,1 milhões.

Bloqueado

A pedido do MP-PR, a Justiça determinou o bloqueio de bens do ex-prefeito (gestão 2013-2016) de Campo Bonito Gilmar Luiz Bernardi, uma empresa e seu proprietário. Todos são réus em ação civil pública por ato de improbidade administrativa e tiveram os bens indisponibilizados em R$ 318.581,24 cada um. Conforme apurou o MP, em 2014, os requeridos direcionaram um processo licitatório para contratação de empresa para realização de um concurso público no Município. Prática que é ilegal.



Fale com a Redação

17 − sete =