Informe da redação: Fórum internacional, PEC Emergencial e Amop em disputa

Fórum internacional

Em Cascavel esta semana em função do Show Rural, o secretário Valdemar Bernardo Jorge recebeu pessoalmente e aceitou o convite para que a Secretaria de Planejamento e Projetos Estruturantes integre o Fórum Internacional de Infraestrutura e Logística que será realizado em Foz do Iguaçu. Organizado pelo POD, pela Itaipu, pelo governo do Paraná e pelo Parque Tecnológico Itaipu, o evento irá receber especialistas e autoridades de vários países. “Para o Paraná ser o hub logístico que o governador Ratinho Junior propõe, temos que fazer a integração do nosso estado com países como Argentina, Paraguai, Chile, entre outros. Por isso a importância do evento. Estamos indicando uma pessoa da secretaria para ser o ponto focal sobre logística e ajudar o POD a construir esse fórum internacional na fronteira”, disse Valdemar.

 

Sem desgaste

O Senado quer que estados e municípios deem a palavra final em regras mais duras da PEC Emergencial, que aciona gatilhos de ajuste fiscal em situações de crise. Entre os gatilhos, estão redução da jornada de trabalho do servidor em 25% com corte proporcional de salário, e proibição de reajustes, criação de cargos, reestruturação de carreiras e concursos por dois anos. A ideia dos parlamentares é não ficar com a “bucha” sozinhos e sofrer tanto desgaste em ano de eleições.

 

Na ponta do lápis

A regra que exige a desincompatibilização do cargo público seis meses antes das eleições pode custar caro para alguns candidatos. Um secretário de uma prefeitura do porte de Cascavel, por exemplo, com salário em torno de R$ 15 mil por mês, deixa de ganhar R$ 90 mil nos seis meses sem nomeação. E sem contar que, se perder a disputa para vereador – ou para prefeito -, não tem garantia alguma de que será recontratado.

 

Delação

Se a palavra delação provoca tremores, imagine então uma delação do ex-governador Sérgio Cabral, que já tem 13 condenações, sentenciado a 282 anos de prisão, mais 31 ações penais em andamento por corrupção e quatro ordens de prisão (ele está preso há três anos). Para terror de muitos, esta semana o ministro Edson Fachin (STF) homologou o acordo de delação premiada de Cabral e a Polícia Federal.

 

Inédito

Cabral é o primeiro chefe de quadrilha a delatar seus crimes. A delação deve incluir ministros do STJ (Superior Tribunal de Justiça), outros magistrados e políticos.

 

Comissão mista

A Câmara dos Deputados e o Senado chegaram a um acordo para criar a comissão mista especial para discutir a reforma tributária. Cada casa terá 20 representantes na comissão. Ainda não há definição de uma data para se instalar a comissão.

 

Truco seis

O Governo Ratinho Júnior parece propenso a aceitar o desafio do presidente Jair Bolsonaro, que nesta semana declarou que zeraria os tributos federais da gasolina se os governadores zerassem o ICMS. “Não sabemos se foi um discurso consistente ou uma fala aleatória do presidente, vamos aguardar. Se houver alguma orientação clara do governo federal em reduzir os tributos, o Paraná vai encontrar formas de acompanhar as engenharias tributárias em parceria com o governo federal”, disse o chefe da Casa Civil, Guto Silva.

 

Amop em disputa

Apesar de ter poucos no páreo, tudo caminha para bate-chapa na eleição da Amop. Chegado o fim do mandato de Júnior Weiller, prefeito de Jesuítas, há mobilizações entre grupos distintos. De um lado, Jucenir Stendzler, prefeito de Palotina, que já tem carga pesada comandando o Consamu, mas tem buscado votos entre os demais prefeitos. De outro, Anderson Bento Maria, prefeito de Maripá, que vem analisando a volta ao comando da “Casa dos Prefeitos do Oeste”, que ele presidiu em 2018.



Fale com a Redação

dezoito + oito =