Informe da redação do dia 13 de julho de 2019

O meu pelo seu

Depois de o presidente Jair Bolsonaro “sugerir” que vai indicar seu filho Eduardo para ser embaixador do Brasil nos Estados Unidos, o presidente Donald Trump disse que pode designar um de seus cinco filhos, o Eric, para assumir a Embaixada dos EUA no Brasil. A indicação política seria “um sinal de prestígio sem igual”, pois considera que os americanos costumam fazer esse tipo de indicação para países como Rússia, China, Reino Unido, Canadá, Israel, Polônia e Hungria. O Brasil não tem tradição de fazer indicações políticas, especialmente para a Embaixada nos EUA, que é uma das mais disputadas no meio diplomático. Isso sem contar a confusão interna se a indicação é ou não é nepotismo.

Hambúrguer

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) disse nessa sexta-feira (12) que recebeu apoio do ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, para assumir a embaixada do Brasil em Washington. Sobre suas qualificações, o parlamentar contou que fez intercâmbio nos Estados Unidos e “fritou hambúrguer no frio do Maine.”

Nos states

E por falar em EUA… o governador Ratinho Junior viaja para os Estados Unidos e deixa o abacaxi da greve do funcionalismo público nas mãos do vice, Darci Piana. Aliás: o Estado divulgou o fim da greve ontem, só esqueceu de combinar com o funcionalismo.

Indefensável

Além de Piana, o governador deixou alguns deputados com uma tarefa pra lá de difícil… defender o indefensável. O Coronel Lee, por exemplo, teve que dizer aos policiais militares e civis que a data-base é só “migalha” perto dos investimentos em equipamentos que estão por vir.

Sem grito

Já Márcio Pacheco tem divulgado vídeo pelo whatsapp para garantir aos servidores que, embora não esteja “gritando por aí”, está envolvido com as negociações da data-base com o governo do Estado. Tem trabalhado quietinho…

Alep às moscas

Ao que tudo indica, nesta segunda-feira as sessões na Alep (Assembleia Legislativa do Paraná) devem estar vazias. É que na quarta-feira começa o recesso parlamentar, que se estende dia 1º de agosto. Tradicionalmente, essa pausa tende a engrenar as articulações para as eleições municipais (de 2020) e os parlamentares costuram apoios na base, alguns, inclusive, com pretensões de se lançar candidatos a prefeito.

Não ao porte I

Uma pesquisa Datafolha mostrou que 70% da população brasileira reprova o projeto do Governo Bolsonaro para facilitar o porte de armas nas ruas. O levantamento, realizado dias 4 e 5 de julho, também apontou crescimento do apoio à proibição da posse de armamento.

Não ao porte II

De acordo com o Datafolha, a rejeição à posse, ou seja, ter uma arma em casa ou no trabalho, passou de 64% a 66% desde abril e alcançou o maior patamar numérico em seis anos. Já quem concorda recuou de 34% para 31%.

Comissionados

O TCE-PR (Tribunal de Contas do Estado do Paraná) determinou que a Prefeitura de Assis Chateaubriand modifique, em até 180 dias, a lei municipal que regulamenta os cargos comissionados de procurador e subprocurador. O texto da norma deve ser adequado ao que estabelecem a Constituição Federal e o Prejulgado nº 25 da corte de contas paranaense. A denúncia de vícios na lei foi feita em 2015, agora acatada.

 

Fim da rixa

Durante solenidade na tarde de ontem em Cascavel, o prefeito Leonaldo Paranhos abraçou (literalmente) o prefeito Lucio de Marchi e sacramentou: acabou a rixa entre Cascavel e Toledo.



Fale com a Redação

quatro × cinco =