Nas mãos da Azul

Não bastassem os constantes cancelamentos e as mudanças de trajeto dos voos para Cascavel, agora a “Metrópole do Futuro” vai ficar com dois voos diários a menos. É que, a partir de segunda-feira, a Azul “recolhe” suas aeronaves para operar em locais mais lucrativos. Nas mãos da única empresa que opera no Município, apesar da injeção de mais de R$ 20 milhões em obras nos últimos oito anos, a administração pública tem dificuldades para reverter a situação. Pista reformada, novos equipamentos para facilitar pousos/decolagens e desenvolvimento acelerado da economia: esses fatores são irrelevantes para colocar Cascavel na rota dos jatos ou ao menos criar uma concorrência.

Clima ruim

Ontem a Azul Linhas Aéreas confirmou a medida e justificou “condições meteorológicas adversas” na cidade, por isso a necessidade de redução de voos. Dos dois voos diários Cascavel/Campinas, resta agora apenas uma opção. Foi retirada de operação a linha com saída às 5h em Cascavel e chegada às 6h55 em Campinas. Também está extinto o voo de volta, com saída de Campinas às 23h e chegada à 1h em Cascavel. Dos três voos de Curitiba/Cascavel, foram interrompidas as vendas das passagens de Cascavel saída às 5h35 com chegada às 6h55 em Curitiba e retorno de Curitiba às 22h05 com chegada 23h35 em Cascavel.

Estranho

O que chama a atenção é que todos os anos a Azul pinta e borda em Cascavel e ninguém fala nada. Até pouco tempo, o prefeito Leonaldo Paranhos usou as redes sociais para reclamar dos atrasos, cancelamentos e desvios de rota. Ontem, preferiu não se manifestar sobre o assunto, dizendo que não tinha a informação ainda, e redirecionou a reportagem para o presidente da Cettrans, Alsir Pelissaro. Este, já tinha resposta pronta: “É que agora cai o movimento”. Tem que cair mesmo, pois não tem em que embarcar.

Foz aumenta

Cidade turística e em clima de férias de meio de ano, a Terra das Cataratas, do ladinho de Cascavel, onde também tem inverno, ganhou mais voos. Em Foz do Iguaçu foi incluído um voo Curitiba/Foz, passando de três para quatro opções diárias. Saída das 13h em Curitiba, chegada às 14h45 em Foz; saída às 15h15 em Foz, chegada às 16h45 em Curitiba. De Porto Alegre (RS) a Foz sobem de sete para dez voos. A programação vale de 5 a 26 de julho.

Em Toledo

Em Toledo a coisa também não anda muito azul… confira reportagem na página 7 desta edição.

Coach a servidores

A um custo de R$ 54.600, 21 servidores públicos de Cascavel terão o privilégio de participar de um curso de Coach. A carga horária da empresa contratada é de 16 horas. A Secretaria de Planejamento e Gestão é a escolhida para o treinamento. O custo é de R$ 2,6 mil por servidor.

Reajuste mínimo

Tramitam na Câmara de Cascavel os Projetos de Lei 50 e 51 de 2018, que dispõem o reajuste salarial dos servidores municipais do Executivo e do Legislativo. O índice proposto é de 1,7%, apenas a título de reposição inflacionária. O percentual proposto é constituído de 1,48% a título de reposição inflacionária do período de maio de 2017 a março de 2018 e 0,22% de reajuste referente ao percentual projetado do INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) para o mês de abril de 2018. A prefeitura tem hoje 8 mil servidores e a Câmara tem 167 funcionários.

Uniformes

Hoje, às 9h30, os vereadores Celso Dal Molin e Policial Madril entregarão no Ministério Público um pedido de investigação sobre a venda em Foz do Iguaçu e Cidade de Leste de uniformes escolares com o brasão do Município de Cascavel. Segundo Dal Molin, o objetivo é saber se essas peças vendidas foram desviadas dos lotes adquiridos pela Prefeitura de Cascavel na gestão passada. Por esse motivo, um pedido de informações foi feito ao Executivo ao mesmo tempo em que o Gaeco está sendo acionado para acompanhar o caso.

Pioneira

Das 19 associações de municípios existentes no Estado, somente a Amsop possui um Portal da Transparência próprio, disponibilizando toda a contabilidade e que pode ser acessado por qualquer cidadão.