Cadê as vacinas?

Enquanto aguarda a chegada das vacinas contra a covid-19, o governo estadual tenta convencer os prefeitos a estenderem o horário de vacinação até a meia-noite, após já ter conseguido a adesão de muitos para vacinarem nos domingos. Contudo, o problema é um só: cadê as vacinas. O governador Ratinho Junior cobrou pessoalmente o ministro Marcelo Queiroga que prometeu para “breve”. A expectativa é de que “nesta quinta ou sexta” o Paraná receba 242.050 doses (parte CoronaVac e parte AstraZeneca). Até chegar aos municípios, é capaz de fecharmos a semana sem vacinação da primeira dose. Apesar da espera, ontem o governo estadual voltou a pedir a intensificação da vacina em reunião com prefeitos, secretários municipais e diretores de Regionais de Saúde.

 

Compra de vacinas

O plenário da Câmara dos Deputados aprovou o texto-base do projeto que libera a compra de vacinas pela iniciativa privada. O projeto prevê ainda que as entidades devem doar quantidade igual ao SUS. De acordo com o presidente da Câmara, Arthur Lira (Progressistas), as mais de 4 mil mortes registradas na última terça-feira reafirma a necessidade da aceleração das vacinas.

 

Auxílio Emergencial

A Câmara de Toledo está apreciando proposição que autoriza o pagamento de auxílio emergencial no Município a famílias de baixa renda afetadas economicamente pela pandemia do coronavírus. Como o projeto é de iniciativa do Legislativo, tem caráter autorizatório, e caberá ao Executivo definir valores e público beneficiado.

 

Na presidência

Já em Cascavel, em cerimônia solene, o vereador Romulo Quintino (PSC) assinou o ato de posse como presidente da Câmara Municipal pelos próximos 30 dias, durante o afastamento do vereador Alécio Espínola, que pediu licença (com remuneração) por estresse.

 

Privatização I

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, disse que o País tem o desafio no pós-pandemia da geração de empregos, o que renova o compromisso com investimentos. “Temos que ter noção que em breve vamos competir com todos os países do mundo em busca de oportunidades, e temos que sair na frente. Estamos melhorando a qualidade da prestação de serviços para os usuários”, pontuou no leilão dos aeroportos, realizado na sede da B3, em São Paulo.

 

Privatização II

Em Foz, o presidente Jair Bolsonaro disse que “faremos o que puder para privatizar parte das estatais. Nós não teremos recursos para investir mais no Brasil se não passarmos para a iniciativa privada a administração destes aeroportos”.

 

Dívida das igrejas

O perdão milionário de tributos em favor das igrejas caiu nas mãos do Ministério Público junto ao Tribunal de Contas da União, que ingressou com uma representação para que a corte de contas apure se há “desídia administrativa” (desleixo) na cobrança dessas dívidas. No mês passado, o Congresso derrubou um veto presidencial que, na prática, perdoou mais de R$ 500 milhões em dívidas das igrejas relacionadas à CSLL (Contribuição Social sobre Lucro Líquido).

 

Dívida Ativa

A peça cita reportagem do Estadão, que revelou que as entidades religiosas acumulam R$ 1,9 bilhão em débitos inscritos na Dívida Ativa da União. Algumas delas deixaram de pagar à União até mesmo a contribuição previdenciária e o Imposto de Renda já descontados do salário do empregado.

 

Aviso prévio

Entidades educacionais paranaenses levaram ontem até o Palácio Iguaçu um “aviso prévio” do secretário de Educação do Paraná, Renato Feder. Enquanto a batata do secretário assa nos bastidores palacianos, nas ruas as palavras de ordem eram “Queremos Paz na Educação” e “Fora Feder”. Pelo menos oficialmente, o governador Ratinho Junior não sinaliza intenção de troca.