Um levantamento do Cadê Paraná realizado com crianças atendidas no Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional do Paraná mostrou que mais de 270 mil meninos e meninas estão obesos no Estado, com prevalência entre o nascimento e 5 anos de idade. E um estudo do Imperial College London e da OMS (Organização Mundial de Saúde) revelou que a obesidade entre crianças e adolescentes aumentou dez vezes em quatro décadas no mundo todo.

Seguindo a tendência do ganho de peso na população pediátrica, a incidência do Diabetes Mellitus tipo 2 também cresceu. Os dados regionais indicam que as regiões Sul e Sudeste do Brasil são as que apresentam as taxas mais elevadas. "A criança, em decorrência do excesso de peso, pode apresentar de forma precoce complicações no sistema cardiovascular e metabólico", aponta a endocrinologista pediátrica Myrna Campagnoli, diretora médica do Laboratório Frischmann Aisengart, da Dasa.

Myrna explica que o diabetes do tipo 2 é uma doença silenciosa em comparação ao tipo 1, por exemplo, que tem início abrupto, com sinais bastante evidentes. Segundo ela, o início da diabetes tipo 2 é traiçoeiro, com sintomas e sinais subjetivos. Cansaço, desânimo, aumento do apetite, mais urina e mais sede são alguns dos sinais. O diagnóstico do tipo 2 da doença é clínico e laboratorial. "A partir dos sintomas clínicos e da dosagem da glicemia de jejum é possível identificar a presença ou não do diabetes", afirma a diretora médica.

O tratamento se baseia em mudanças de hábitos de vida, alimentação saudável e atividade física. "Algumas vezes, faz-se necessário o uso de medicamentos orais ou insulinas, mas quanto melhor o cuidado com os hábitos de vida, melhor o controle glicêmico e muitas vezes a terapia comportamental já é suficiente", explica Myrna.

Caso o tratamento precoce seja negligenciado, os jovens correm risco de desenvolver doenças nos rins, alterações oftalmológicas, circulatórias e cardiovasculares. A manutenção de bons hábitos alimentares e atividade física regular são imperativas na prevenção do desenvolvimento do diabetes. "As consultas pediátricas para avaliação cuidadosa dos parâmetros de crescimento e para exames laboratoriais de rotina contribuem para que medidas possam ser tomadas de forma precoce e assertiva", finaliza Myrna.