Curitiba – O governo do Estado e o G7 – grupo formado pelas principais entidades do setor produtivo paranaense – se reuniram ontem, por videoconferência, para discutir propostas conjuntas e mostrar o que já tem sido feito para incentivar a retomada econômica e apoiar os setores mais atingidos pela crise causada pela pandemia de covid-19.

O vice-governador Darci Piana disse que a atuação e conhecimento do setor produtivo apontam ao Estado os direcionamentos das políticas de incentivo para a recuperação da economia, principalmente com a vacinação ganhando corpo no Paraná. “O setor produtivo paranaense tem contribuído muito com o governo nessa questão ao apresentar as principais dificuldades de cada segmento durante este período, para nortear a atuação do Estado”, disse.

“O olhar agora precisa ser direcionado aos pequenos empreendimentos, de segmentos que ainda sofrem muito com as restrições impostas pela pandemia, como o turismo, restaurantes e eventos. Mesmo com a retomada já observada na indústria e no comércio, alguns setores ainda sofrem mais que os outros”, afirmou Piana. “Essa discussão conjunta é necessária, para que o governo e a iniciativa privada possam encontrar uma saída para a crise”.

O governo do Estado tem uma série de ações e programas para dar suporte às empresas e empreendedores. Isso inclui linhas de crédito subsidiado e o programa de Auxílio Emergencial que vai destinar R$ 80 milhões para apoiar financeiramente 124 mil microempresas e microempreendedores individuais (MEI) dos segmentos mais afetados pela pandemia.

Fazem parte do G7 a Fecomércio-PR (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná), Faep (Federação da Agricultura do Paraná), Fiep (Federação das Indústrias do Paraná), a Ocepar (Organização das Cooperativas do Estado do Paraná), Faciap (Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Paraná), Fetranspar (Federação das Empresas de Transporte de Cargas do Paraná) e a ACP (Associação Comercial do Paraná).