Giro político Tribuna Hoje: Gastos dos deputados, promessas de fora e denúncias

Gastos dos deputados

Os 565 deputados que fizeram parte do primeiro ano da atual legislatura da Câmara dos Deputados gastaram R$ 175.033.424,26 em cota parlamentar. Deste, 49,91% (R$ 87.361.453,46) foram desembolsados pelos eleitos em primeiro mandato. A “nova política”, que representa 49% da casa, foi responsável por um gasto médio anual de R$ 315.384 para cada parlamentar. O valor é levemente superior ao despendido pelos veteranos, que usaram, em média, R$ 304.416.

Promessas de fora

O montante, no entanto, varia entre os partidos. O Novo é o mais econômico. Entre os oito eleitos, o gastou médio é de R$ 94,2 mil da cota parlamentar de 2019. Na ponta oposta, estão os quatro deputados do Pros que consumiram R$ 404,08 mil. Lúcio Remuzat Rennó Júnior, professor de Ciência Política da Universidade de Brasília (UnB), aponta que os números refletem a diferença entre promessas de campanha e a realidade política. “Uma vez que você assume um mandato, as coisas mudam, a percepção é diferente. Prometer quando se está fora é muito fácil”, explicou.

Valor do desempenho

Existe outro fator a ser avaliado. “Temos que ponderar o desempenho. O gasto é sempre exagerado, mas é preciso levar em conta o que eles fazem com o dinheiro”. Vice-líder do Novo, Marcel Van Hattem, lembra que a economia da cota parlamentar é orientação na escolha dos que concorrem pela legenda. Um compromisso dos deputados é para que não se utilize mais que 50% do valor disponível. “No início do mandato, a bancada estipulou o percentual e que fossem contratados metade dos funcionários de gabinete, ou seja, no máximo 12 pessoas”.

Contratando

Mesmo após denúncias feitas ao Ministério Público, apontando supostas irregularidades em contrato para a compra de Coffree Break em eventos da Secretaria de Saúde, a Prefeitura de Umuarama continua firmando contrato com a empresa T. Ronqui Distribuidora e Prestadora de Serviços. Em diário oficial foram apresentados contratos de compra de cadeiras para alimentação para crianças de 0 a 3 anos das Cmeis, no valor de R$ 35.534,70. Outros R$ 103.842,08, são referentes à contratação de empresa (contrato 18/2020) para fornecimento de lanches e materiais diversos às crianças e adolescentes que participam de treinamentos esportivos no Estádio Lúcio Pipino e no Ginásio de Esportes. Ainda foi aditivado R$ 2.588,15, elevando o valor de uma terceira contratação com a mesma empresa de R$ 39.015,75, para R$ 41.603,90.

Denúncias

Em setembro do ano passado, após abertura de licitação no valor de R$ 200 mil para aquisição do Coffee Break e o vencedor foi T. Ronqui Distribuidora e Prestadora de Serviços. Em fiscalização rotineira, a vereadora Ana Novais descobriu que produtos repassados à prefeitura eram entregues por valor muito mais alto do que o preço do mesmo sendo comercializado na gôndola do supermercado. A descoberta foi alvo de denúncia feita ao MP que abriu investigação e analisa o caso.



Fale com a Redação

quatro × um =