Giro político do dia 23 de maio de 2019

É justo, mas falta dinheiro

O prefeito Leonaldo Paranhos (PSC) concorda que a reposição ao funcionalismo público é um direito, o problema é fazê-lo caber no orçamento. Se aprovada a reposição de 5% sobre os salários, o impacto financeiro é de R$ 19 milhões no ano. “É uma questão de justiça dar a reposição, e não estamos falando de aumento. Não me sinto confortável em não dar uma reposição. O problema é que o pouquinho somado dá muito. A responsabilidade me leva a discussões, mas nunca vou fugir disso”, garantiu.

Fiscalização

Paranhos deixou o mandato de deputado, mas a função não sai dele. Como exímio fiscalizador, esteve ontem nas obras de extensão da José de Sá. Em toda cidade estão em andamento mais de 84 obras diferentes – pavimentação urbana e rural, reformas em escolas e unidades básicas. Paranhos não perdeu o costume e pediu para a população seguir o exemplo: “ajude a fiscalizar!”

Blindagem?

Definido mais um bloco parlamentar dentro do Legislativo: Avança Cascavel. O grupo que tem como líder Misael Júnior (PSC) e vice-líder Nadir Lovera (Avante), e os integrantes Sidnei Mazzuti (PSL) e Alécio Espínola (PSC).

Governador

Ratinho Júnior (PSD), que encontrará hoje o presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), no aeroporto de Cascavel sob fortíssimo esquema de segurança, volta a Cascavel à noite para prestigiar o Congresso Estadual de Secretários Municipais de Saúde do Paraná, na FAG, a partir das 19h. O evento termina amanhã.

Pires na mão?

E os prefeitos que manifestaram apoio total ao atual presidente já estão revendo tal posicionamento. As administrações municipais enfrentam cortes e mais cortes. Cascavel deixou de receber ano passado R$ 15 milhões (gestão de Michel Temer). O que estava ruim ficou pior: nem chegamos à metade do ano e o “calote” federal já chega a R$ 10,188 milhões. Nem a velha prática do “pires na mão funciona mais”. Em Brasília, ser recebido nos ministérios virou um calvário ao infinito.

Despedida

Longe dos holofotes, Rubens Griep se despediu do cargo de secretário de Saúde por meio das redes sociais. Agradeceu o apoio de quem esteve ao lado dele em “uma das pastas mais complexas da administração”. Destacou os avanços na atenção primária e defendeu o fortalecimento do SUS (Sistema Único de Saúde).

Luto na política

Internado com problemas renais, Hostilio Lustosa dos Santos Filho, 69 anos, ex-vice-prefeito de Cascavel na gestão de Salazar Barreiros, faleceu ontem. Ele estava internado no Hospital São Lucas, onde enfrentava batalha com a doença. Também foi vereador (1983-1988) e secretário de Administração de Fidelcino Tolentino. Nos últimos dez anos foi assessor parlamentar do ex-deputado federal Alfredo Kaefer (PP). O prefeito Leonaldo Paranhos decretou luto oficial por três dias.

 



Fale com a Redação

11 + catorze =