A partida desta quarta-feira (08) entre Futebol Clube Cascavel e Athletico Paranaense veio como um grito de independência da equipe aurinegra, proclamado no Estádio Olímpico Regional Arnaldo Busatto. Pela primeira vez em sua história recente, o time de Cascavel está classificado para a final do Campeonato Paranaense. E o caminho percorrido até este feito histórico não foi fácil, especialmente os quilômetros finais.

Na última segunda-feira (06), a equipe realizou uma bateria de testes de Covid-19 que apontou nove casos positivos no elenco, sendo 4 em jogadores. Somado isso ao fato de que outros dois cumpriam suspensão por cartão amarelo, um estava lesionado e outro não poderia jogar devido a uma cláusula contratual, restava ao time comandado pelo técnico Tcheco apenas 13 jogadores aptos para disputar a partida.

Por conta disso, a diretoria do FC Cascavel solicitou ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva o adiamento da partida, mas o pedido foi negado. Na raça, a Serpente entrou em campo para duelar contra um adversário fortíssimo e que vinha com o elenco completo.

Para tornar a disputa ainda mais difícil e emocionante, o Furacão saiu na frente aos 5 minutos com gol de Nikão em uma jogada de contra-ataque. Mas a Serpente não se abalou e seguiu pressionando.

Gama teve boa chance aos 10 minutos e, na sequência, depois de bela jogada individual, Simões chutou forte, levando perigo ao gol rubro-negro. O Cascavel insistia no empate em jogadas pelas laterais e nos cruzamentos, pressionando bastante a saída de bola do Athletico.

Aos 19, Carlinhos recebeu na direita, chutou forte e só não marcou porque o goleiro espalmou para escanteio. O jogo seguiu bem disputado na 1ª etapa, inclusive com dois lances questionáveis que poderiam ter resultado em pênalti para os donos da casa, mas o juiz não marcou.

Aos 42 minutos, no contra-ataque, Itaperuna recebeu de Sotto e quase marcou o dele, tirando tinta da trave. Mas, apesar das boas investidas aurinegras, o Athletico terminou o 1ª tempo na frente.

Mas, a alegria athleticana durou pouco. Logo aos 2 minutos do 2ª tempo, o paraguaio Rogério, camisa 9, fez o dele e deixou tudo igual: 1×1. Querendo a todo custo evitar que a partida se encaminhasse para a cobrança de penalidades, o FC Cascavel partiu para o tudo ou nada. E deu certo!

Aos 42, Sotto cruzou perigosamente e o goleiro Anderson espalmou, mas na cobrança de escanteio, Léo Itaperuna, o famoso Itapemito, subiu mais que a zaga e fez de cabeça o gol da vitória e da classificação inédita para a final do Campeonato Paranaense 2021.

A Serpente aguarda agora a definição de data e horário da primeira partida da final contra a equipe do Londrina e, enquanto isso, se prepara para o primeiro jogo da fase mata-mata do Campeonato Brasileiro da Série D contra o Cianorte, fora de casa, no próximo domingo (12).