A Série D do Campeonato Brasileiro começa em setembro e o FC Cascavel espera contar com a presença do torcedor no Estádio Olímpico Regional em seus jogos. Para isso, o departamento jurídico do clube espera autorização da CBF (Confederação Brasileira de Futebol).

O pedido foi baseado no Decreto Municipal 15.621, de 19 de agosto, que liberou os jogos no estádio, sem restrição de público, sendo seguidas regras de distanciamento social e uso de máscara.

A solicitação foi encaminhada para a FPF (Federação Paranaense de Futebol), na última segunda-feira (25), a qual vai enviar o documento para a CBF, que analisa e decide. “Por mais que a gente tenha a liberação de público no decreto do Município, precisamos da liberação do organizador do campeonato. A intenção é agir dentro da legalidade, pedindo autorização da CBF. Estamos aguardando resposta. Se ela for positiva, a partir daí vamos ter que atender um protocolo que eles devem exigir, como distanciamento social, uso de máscaras, álcool em gel em todos os acessos, controle de pessoas, monitoramento por vídeo”, explica o presidente do  time, Valdinei Silva.

Até agora, nenhum time conseguiu autorização para acesso do público.

Estreia

O primeiro confronto do FC Cascavel na Série D será justamente em casa, contra o Cabofriense, do Rio de Janeiro, previsto para o dia 19 ou 20 de setembro.

O time cascavelense integra o Grupo 7, que também conta com a participação dos paranaenses Nacional (Rolândia) e Toledo, além de Ferroviária-SP; Mirassol-SP; Bangu-RJ; Cabofriense-RJ; e Portuguesa-RJ.

O que diz o decreto municipal

O FC Cascavel recorre ao Artigo 7 da versão atualizada do Decreto Municipal ° 15.621, de 19 de agosto de 2020, para justificar o pedido à CBF. O artigo trata dos espaços públicos municipais abertos.

“Ficam os espaços públicos municipais abertos para o desenvolvimento de atividades esportivas, culturais e de lazer, devendo ser observadas as seguintes medidas:

I – Deve ser mantido o distanciamento social

II – O uso de máscaras de proteção individual é obrigatório

III – Higienização das mãos e uso de álcool gel

IV – Nos espaços fechados, manter as portas e as janelas abertas para ventilação

V – Nos espaços fechados, manter a capacidade de público reduzida a no mínimo 50% da sua capacidade

VI – Deverá ser aferida a temperatura na entrada dos espaços fechados

Portões fechados

Desde que retomou a realização das competições nacionais, a Confederação Brasileira de Futebol segue um protocolo rígido para que os jogos aconteçam, entre eles a apresentação de testes, distanciamento, redução no número de profissionais de imprensa e portões fechados, sem a presença de torcedores.