O Iapar (Instituto Agronômico do Paraná) de Santa Tereza do Oeste realizou ontem (7) um dia de campo sobre culturas para obtenção de óleo vegetal. Opções de variedades para plantio durante o inverno no oeste também foram apresentadas, como camelina, canola, cártamo, crambe linhaça, mostarda e nabo forrageiro.

Um dos palestrantes foi Hevandro Delalibera, pesquisador do Iapar que falou sobre extração de óleo e regulagem de máquinas visando melhorias no processo, alguns procedimentos necessários na matéria-prima, como pré-tratamento, pós-tratamento entre outros. Também explicou as diferenças entre os óleos, qualidade e armazenamento. “Talvez o principal produto de interesse é a torta gerada na extração mecânica do óleo. Esse subproduto é utilizado na alimentação animal. Hoje o cenário mais viável para uso da torta é na alimentação animal, em produtores de leite, confinamentos, granjas de suínos e aves. Também é possível usar na correção de solo”, disse.

Os presentes tiveram contato com as máquinas de extração e ouvirão outros conceitos que envolvem engenharia de alimentos, pós-colheita, engenharia agrícola, nutrição animal, química entre outros.

Luiz Antonio Zanão Junior, também pesquisador, falou sobre a adubação de culturas para produção de óleo, especificamente canola, cártamo e crambe, que possuem necessidades nutricionais menores que culturas tradicionais como soja e milho porque produzem menos que essas culturas. O pesquisador Iapar em fitotecnia, Mateus Azevendo, que é líder do Programa de Pesquisa em Energias Renováveis informou o panorama da produção e uso de biocombustíveis a partir de óleo vegetal. “Para isso eu apresentei as principais características da matriz energética brasileira com ênfase à importância da agricultura na composição de biocombustíveis, sobretudo biodiesel e bioquerosene”, alertou.

Apontamento a campo

Por fim, o pesquisador Pedro Mário Araújo mostrou a campo opções estudadas pelo instituto, como nabo forrageiro, canola, crambe, cártamo, camelina, linhaça e mostarda.

Nas avaliações conduzidas pelo pesquisador foram considerados os fatores como produção de grãos e de óleo, qualidade da torta para alimentação animal, ciclo da cultura que deve se encaixar na entressafra da soja. “Com base nos resultados obtidos até o momento podemos afirmar que as espécies mais promissoras são a canola e o nabo forrageiro”.