Quando as imperfeições fazem com que seja perfeito. Sem dúvida, não é sem critérios que uma pessoa se torna o seu bem me quer.

Paquerar um brotinho faz sentido se essa relação puder crescer e amadurecer. E a pessoa ser mais que apenas um brotinho.

Se você decidir, ou mantiver sua lista de exigências, só vai fazer a relação secar.

Se a sua verdadeira intenção é contemplar o coração de outra pessoa com seu amor, por que se espantar com a imperfeição dela?

Você correrá o risco de perder a oportunidade de um relacionamento porque o outro não é tão culto ou tão religioso. Perderá uma grande oportunidade, a de amar verdadeiramente.

Eu e você, com nossas imperfeições, temos nisso a nossa maior prova de amor que pode dar no início do relacionamento: ser flexível.

Quando você deixa a rigidez de lado, você dilata o coração do seu amorzinho para que nele possa caber todo o amor que você deseja lhe entregar.

É mais do que necessário aprender tal arte.

Nesta leitura, tenho a intenção que você aprenda os impactos, caso você submeta  o seu pitéu a critérios muito rígidos (ou muito permissivos), assim como contribuir com o crescimento de seu pimpolho, sem lhe torrar a paciência.

Nem todas as concessões são boas. Se o seu príncipe encantado simplesmente odeia aquilo que você ama, vocês não podem ter uma relação. É impossível que uma mulher religiosa se case com um ateu radical.

Mas, se o príncipe não for radical, porém nunca apresentado para uma religião, possuindo apenas um pé atrás, o tempo de namoro, na verdade, servirá para o ajuste desse possível problema. Se o futuro companheiro não se tornar o mais exemplar na religião, não significa que o namoro deva ser finalizado.

Para uma relação amorosa baseada na rigidez, como você avalia as suas exigências? Você é daqueles que exigem o mais alto grau de conhecimento em diversos assuntos?

Se em seu termômetro predomina a temperatura amena, ótimo!

Essa é a temperatura ideal para a sua flexibilidade. Porém, caso seu termômetro esteja nos extremos, será que você não anda sendo rígido demais (muito quente) ou permissivo demais (muito frio)?

Não basta ser flexível, é necessário amar com gentileza. Ser flexível não é permitir tudo, também não é ficar inerte. Seja doce, sem chatear o seu pudinzinho que você deseja amar.

Por isso, não seja rude ao expressar as suas diferenças.


Juliano Gazola é fundador da Bioliderança® no Brasil, business executive coach, reprogramador biológico

Siga minha página no Instagram @jggazola