Esplanada: Reprovação de Maia cresce entre os brasileiros; veja a pesquisa

A sondagem nacional da Paraná Pesquisas revelou que os brasileiros não querem Maia na presidência da Câmara dos Deputados

Maia em baixa

Os brasileiros não querem uma eventual recondução de Rodrigo Maia (DEM) à presidência da Câmara dos Deputados, revela sondagem nacional da Paraná Pesquisas a pedido da Coluna. Foram ouvidas 2.364 pessoas em 205 cidades dos 26 estados e do DF: 77,1% responderam ser contra a alteração da Constituição para permitir que Maia possa se reeleger à presidência. Como publicamos semana passada, está na fila para o plenário a PEC 101/2003, de autoria do ex-deputado Benedito de Lyra (AL), que permite a reeleição para a Mesa Diretora após dois mandatos. Outros 16,4% dos entrevistados apoiam a ideia, e 6,5% não souberam responder. Pela lei, Maia, já reeleito, deve deixar o cargo em janeiro de 2021.

Quando usar máscara de pano

Recorte social

Segundo a pesquisa, a reprovação à recondução de Maia cresce de acordo com a faixa etária – entre 16 e 54 anos; e índices sobem a cada classe social. Veja tabela no site.

Por região

A Região Nordeste é a que mais desaprova a eventual recondução, com 79,1%. Seguida da Sudeste (77,8%), do Sul (74,9%) e do Norte/Centro-Oeste (73,7%).

Termômetro

A Paraná fez as entrevistas de 25 a 27 de abril, no calor do debate sobre a possível tramitação de um processo de impeachment do presidente Jair Bolsonaro.

Bloqueio

As autoridades do Ministério da Saúde criticaram tanto as de outros países, que atravessaram compras e retiveram vendas, e o governo do Brasil agora fez o mesmo. Lei 13.993, sancionada por Bolsonaro dia 23, proibiu a exportação de ventiladores hospitalares, respiradores, equipamentos de proteção individual (EPIs), macas e de higiene pessoal (máscaras e álcool 70%) produzidos no País.

Alerta vermelho

O PT não deve comemorar a saída de Sergio Moro do Governo. No Ministério da Justiça, ele era o cenário mais seguro para o partido tocar seu projeto de voltar ao poder. Moro na rua é o maior inimigo eleitoral. Até 2022, o ex-ministro será o pesadelo dos petistas.

Mercado futuro

O ministro Paulo Guedes não deixa os investidores no sufoco. Maior autoridade econômica do País, já fez duas lives, uma para o Itaú Personalité, na sexta passada, e outra para a XP Investimentos (sócia dos donos do banco), há duas semanas.

Bola de cristal

Bolsonaro não tira da cabeça uma ideia – ou informação que obteve. Repete a próximos que Sergio Moro e o senador Alvaro Dias (Podemos) farão chapa presidencial em 2022.

Pum do Palhaço?

Regina Duarte (Cultura) sumiu. Não tem recebido demandas, evita holofotes nem apareceu ao lado dos ministros na famigerada coletiva do chefe quando desancou Moro.

***Seu dinheiro

A 2ª Promotoria de Defesa do Patrimônio Público, do MP do Amapá, impetrou ação civil pública na Justiça para cercar o Governo sobre compras sem licitação de máscaras N-95, para EPI nos hospitais. O Estado comprou milhares delas em cinco diferentes processos. Não bastassem os altos preços das unidades, chamaram a atenção a diferença dos valores: teve a R$ 35, R$ 32,75, R$ 18 e até R$ 49. O MP quer ouvir três empresas.

***Inflação

Há um problema tão ruim quanto o desafio de segurar a saúde pública e o desemprego depois que a pandemia (quiçá!) passar. O quilo do feijão já chegou a R$ 9. Era R$ 2.

***Suspense

O governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), ainda não decidiu se continuará ou não com a quarentena em Pernambuco a partir de amanhã. Isso desespera o empresariado que, desde março, acumula quedas no Índice de Confiança do setor.

Mosquito da dengue nas áreas externas


Fale com a Redação

dezoito + dez =