Educação: Obras retomadas e professores prestes a receber o piso

Passados quase três anos de muito trabalho - e muitas críticas -, Márcia apresenta números bem diferentes. A começar pelo aumento da demanda, de 28 mil para 30,5 mil estudantes.

Reportagem: Josimar Bagatoli 

Cascavel – Há três anos, diversas escolas públicas de Cascavel estavam em vias de serem interditadas devido a estruturas precárias do piso ao teto, falta de acessibilidade, com fiações que deixavam crianças expostas ao risco de incêndios. Os casos já eram alvos de inquéritos civis pelo Ministério Público e alguns judicializados. Praticamente nenhuma tinha liberação do Corpo de Bombeiros e da Vigilância Sanitária. Elas simplesmente não podiam receber alunos. Parece exagero, mas esse foi o cenário que Márcia Baldini encontrou quando assumiu a Secretaria de Educação, em janeiro de 2017.

Passados quase três anos de muito trabalho – e muitas críticas -, Márcia apresenta números bem diferentes. A começar pelo aumento da demanda, de 28 mil para 30,5 mil estudantes.

O desafio maior para a secretária de Educação, Márcia Baldini, foi no primeiro momento adequar a situação para que as aulas não fossem interrompidas: “Eram 90 casos no MP… nenhuma escola tinha autorização de funcionamento. Iniciamos uma corrida contra o tempo e vencemos. Hoje, dos 54 Cmeis [Centros Municipais de Educação Infantil], 50 estão autorizados; das escolas, 50% têm aval dos bombeiros e Vigilância, estão com a documentação em dia”, resume a secretária.

E isso apesar da queda no repasse dos governos federal e estadual.

Obras paradas

Outra situação complicada foi a das obras paradas: “Encontramos um quadro caótico”, lembra Márcia.

Havia oito escolas paradas: Ademir Correia de Brito, Aloys João Mann, Zumbi dos Palmares, Dulce Andrade Siqueira Cunha, Manoel Ludgero Pompeu, José Henrique Teixiera, Arthur Oscar Mombach e Ita Sampaio. No caso da Escola Dulce Andrade havia licitação, mas não havia verba para a obra. “Fizemos uma força-tarefa e hoje estamos com 46 obras concluídas, 13 em andamento e quatro escolas em licitação”.

Obras importantes, como a construção da Escola Gladis Maria Tibola, estão em andamento. Também haverá a reforma total da Escola Professora Kelly Christina Correa Trukane e a construção da Escola da Transparência, no Bairro Floresta.

A gestão busca financiamento para reformas em mais 14 unidades, além da construção de uma escola e um Cmei no Bairro Lago Azul. Será construído também o primeiro Cmei rural no Distrito do Rio do Salto.

Reforço interno

Se as paredes estavam precárias, dentro delas a situação não era muito melhor. Por isso, foi preciso também pesado investimento em material pedagógico: R$ 1 milhão em livros infantis, troca de mobiliários e até o ano que vem as escolas e os Cmeis receberão parquinhos infantis modernos.

Em negociação com os representantes da categoria, a Secretaria da Educação planeja para 2020 adequar o salário dos professores ao piso nacional. “As gestões anteriores não pagaram o piso conforme a lei e ficou 3,28% de déficit. A gestão do prefeito Leonaldo Paranhos se preocupou em pagar o piso. Já apresentamos ao sindicato proposta para zerar essa diferença. Pretendemos pagar o piso aos professores no primeiro semestre, e o mais importante, não será abono, será na tabela. Isso é valorização ao profissional”.

Educação Infantil: 2.157 famílias são chamadas

Com o fim de mais um ano letivo se aproximando, aumenta a expectativa por vagas por parte das famílias que têm crianças inscritas no Cadun (Cadastro Único de Vagas para a Educação Infantil) em Cascavel. Foram abertas para os meses de novembro e dezembro 2.157 vagas, sendo a maioria para turmas de berçário (898).

Para o ano letivo 2020, outro fator também colaborará para que mais crianças saiam da lista de espera por vagas e entrem para o rol dos alunos matriculados na rede municipal é a entrega de obras de ampliação já no início do próximo ano.

Com a conclusão das ampliações dos Cmeis Raio de Luz e Julio Inácio e a finalização das construções dos novos Cmeis no Bairro 14 de Novembro e Loteamento Terra Nova, a estimativa é de que mais 450 vagas sejam abertas.

O contato com as famílias deve ocorrer ainda até meados do mês de janeiro de 2020; é necessário aguardar a ligação ou a mensagem via SMS para procurar o Cadun.



Fale com a Redação

13 + quatro =