Os trabalhadores brasileiros foram vítimas de um ataque gratuito. Não necessariamente mentiroso, mas cruel. Ao criticar uma comparação feita entre a industrialização brasileira com a chinesa, o jornal oficial do Partido Comunista Chinês (Global Times) disse que a cultura brasileira faz o País ser “inapto para a manufatura” e que a população brasileira não está disposta a ser trabalhadora como a chinesa.

O editorial atacava o New York Times, que comparava a China ao Brasil sobre os desafios que ambos enfrentam para se desenvolver e evitar seus respectivos declínios. Para o chinês, a comparação “expõe a ignorância chocante do autor sobre a cultura do povo na China”.

O próprio periódico norte-americano já mostrava que o Brasil não conseguiu crescer a partir de 2009, só que apontava que a China não teria um futuro brilhante “diante das similaridades ao Brasil”.

No que o chinês contra-ataca: "De fato, o Brasil nunca teve uma indústria manufatureira forte e sofisticada. Mas a questão básica é por qual motivo a China atingiu sua industrialização, enquanto o Brasil a abandonou e foi para a direção oposta? Isso não é apenas uma questão de economia ou instituição, mas de cultura”.

Talvez o governo chinês não estava tão errado em reclamar. Para se ter uma ideia, 30 anos atrás o PIB da China era de US$ 312 bilhões e o do Brasil de US$ 330 bilhões. Hoje o PIB chinês é de US$ 12,240 trilhões e do Brasil, US$ 2 trilhões.

Agora, será que a culpa é mesmo do trabalhador?