Decisão do Paulistão começa com ameaças

A final começa com ameaça de W.O

São Paulo – Três dias antes de ver São Paulo e Corinthians entrarem em campo para começarem a decidir do Paulistão 2019, os torcedores de ambas as equipes viram a final “começar” em tom de ameaças, nessa sexta-feira.

O primeiro a lançar advertência relacionada ao jogo foi o time corintiano, enviou ofícios ao próprio São Paulo, à Polícia Militar, ao promotor de Justiça Paulo Castilho e à Federação Paulista de Futebol dizendo eu não vai ter jogo caso os torcedores rivais ataquem o ônibus corintiano, no trajeto até o Morumbi.

Em seguida, foi a vez do presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, Antônio Olim, alertar: o Corinthians pode ir para casa em desvantagem caso não entre em campo para disputar o primeiro jogo da final contra o São Paulo.

De acordo com o dirigente, a consequência ao time corintiano seria o W.O., que pelo regulamento equivale a uma derrota por 3 a 0. Já aos “atiradores” de pedras, a consequência seria a detenção.

Palmeiras apedrejado

A preocupação do Corinthians se justifica por fatos semelhantes terem ocorrido recentemente em idas ao Morumbi, mas se externou por causa do apedrejamento ao ônibus do Palmeiras, na noite de quarta-feira. O ônibus com a delegação do Palmeiras foi alvo de um ataque na chegada de seu próprio estádio para o jogo contra o Junior Barranquilla, pela Libertadores. Objetos de vários tipos foram arremessados contra o veículo, que teve janelas quebradas. Ninguém ficou ferido, mas o episódio deixou abalados todos os envolvidos da delegação. Houve até quem defendeu não entrar em campo em protesto.



Fale com a Redação

3 + onze =