Queda de cabelo é um assunto recheado de mitos e verdades, muitas perguntas sobre um tema que aflige homens e mulheres, mas que segundo o médico especialista em transplante capilar Leandro Ribeiro Mauro é possível contornar com o tratamento correto.

Dessa forma, o especialista destaca algumas das questões que todos têm curiosidade de saber, buscando da melhor forma traduzir o que é mito e o que é verdade, num mercado que promete soluções milagrosas, rápidas e simples para um problema complexo e de tratamento que muitas vezes leva anos. “Um transplante capilar leva de 7 a 8 meses para apresentar resultados, não é um caminho fácil, mas quando bem feito, apresenta um resultado duradouro e natural”, afirma Leandro.

1 – Suplementos fazem com o que cabelo não caia.

Sim e não. O que precisamos buscar saber é a causa da calvície. Quando causada por estresse ou por falta de vitaminas, por exemplo, é possível reverter com uma dieta e suplementos, além de atividades físicas e psicoterapia. “A calvície causada por fator genético não sofre qualquer influência da dieta e da falta de vitaminas. As cápsulas ou os suplementos em nada ajudarão. Esse tipo de calvície pode ser tratado efetivamente com medicamentos de uso controlado, que devem ser prescritos somente por um médico, pois há efeitos colaterais que podem ser severos em alguns indivíduos”, diz o especialista.

2 – Mulher não sofre calvície.

Sofre. As mulheres também podem sofrer a calvície, claro, não todas, causada por questões comportamentais, orgânicas e ambientais. O estresse, a vida agitada e os problemas podem causar uma alopecia. A dieta alimentar e de exercícios pode levar a mulher a perder os cabelos, além de questões ambientais juntamente com estes outros fatores, bem como doenças, variações metabólicas e questões hormonais. “Mas não quer dizer que a mulher não possa ter uma calvície de origem genética, isto é, por gatilhos do organismo o cabelo começa a cair”, afirma Leandro Ribeiro Mauro.

3 – Qualquer pessoa pode fazer o transplante de cabelo.

A princípio sim, porém, algumas pessoas não dispõem de pelos para serem retirados, ou dependendo do que o paciente espera, não é possível fazer. “Não havendo pelos necessários, é preciso preencher com pelos de outras partes do corpo, o que muitas vezes são poucos ou inexistentes como nas mulheres”, conta o médico.

4 – O pelo transplantado mantém o comportamento de onde foi retirado.

Sim. Se um pelo é retirado do braço, ele mantém o crescimento e o espessamento daquele local, o mesmo de qualquer outro. Se um fio de cabelo for utilizado para reparar uma sobrancelha, aquele pelo precisará de uma manutenção maior frente aos outros; ele crescerá um pouco mais que os pelos que já estavam naquele local.

5 – Xampus antiqueda “seguram” o cabelo.

Não é verdade. O cabelo cai por diversas causas e nenhuma delas pode ser reparada somente pelo xampu. Não existe uma fórmula mágica que fará com que o cabelo que está fraco por alguma razão, em especial por doenças ou genética, permaneça no couro cabeludo. A queda de cabelo deve ser levada a sério e diagnosticada a sua causa, antes que seja necessário um implante ou transplante. “É possível, como todo medicamento e procedimento, que o efeito placebo, em certas ocasiões, faça com o que o cabelo deixe de cair com o uso de xampus, mas é um efeito conhecido na medicina que é possível alcançar utilizando somente a água do chuveiro”, diz o especialista.

6 – Os cabelos transplantados não caem?

Parcialmente verdade. Os cabelos são retirados de áreas mais resistentes à ação dos hormônios, por isso são os últimos a cair. Na área implantada os fios irão manter essa característica da região de onde foram extraídos, ou seja, serão mais resistentes à queda. “Isso não quer dizer que não caiam, mas que levam muito mais tempo para isso ocorrer, o que pode levar uma vida toda”, afirma Leandro.