A Secretaria de Planejamento e Gestão já espera a notificação do Tribunal de Contas do Estado. “Ultrapassamos os 51,3% com gastos com pessoal em função dos pagamentos do fim do ano, principalmente devido a férias e adicionais aos professores”, explica o secretário Edson Zorek.

A partir da notificação, o Município terá de cortar 20% dos comissionados e demitir servidores em estágios probatórios – medidas impostas pela Lei de Responsabilidade Fiscal. A expectativa é de que no próximo quadrimestre a situação esteja normalizada. “Já estávamos monitorando. Tivemos mais contratações para manter os serviços públicos, que não serão afetados. Ainda não emitimos decreto algum, estamos conversando com os secretários sobre o corte das horas extras. Nossa maior preocupação é com a saúde, no entanto, a lei permite horas extras nesses casos”.