A Copel projeta investir R$ 2,067 bilhões nos segmentos de geração, transmissão e distribuição de energia em 2022. O programa de investimentos da companhia foi aprovado pelo Conselho de Administração nesta quarta-feira (08) e comunicado ao mercado no início da noite. A maior parte deste investimento vai beneficiar a área que atende o consumidor final – a distribuição de energia.

A ampliação e melhoria da rede de distribuição da Copel, que atende 393 dos 399 municípios do Paraná, receberão 77% dos recursos – R$ 1,6 bilhão. “Estes investimentos vão garantir a continuidade do plano de modernização da nossa rede de distribuição, reforçando a capacidade de fornecer energia com qualidade e o mínimo de interrupções possível, e buscando consolidar nossa posição como melhor distribuidora de energia do País”, disse o presidente da Copel, Daniel Slaviero.

Este ano a Copel recebeu o prêmio de melhor distribuidora de energia do Brasil (Prêmio Abradee).

O principal foco dos investimentos da Copel é o Paraná. “O investimento de mais de R$ 2 bilhões é um número que impressiona, porém o que mais importa é como ele impactará na vida dos paranaenses. Serão milhares de quilômetros de redes, subestações e reforço nas nossas estruturas. Esse investimento beneficiará quem está na cidade, mas, principalmente, quem está no campo. É a Copel investindo no seu maior ativo, o Paraná, e fornecendo a energia de melhor qualidade do Brasil”, acrescentou Slaviero.

DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA – Em distribuição de energia, os investimentos somados entre 2019 e 2022 alcançam o montante de R$ 4,8 bilhões, quase 60% do total que a Copel está aportando nestes quatro anos. Um dos destaques é o programa Paraná Trifásico, que está substituindo a rede rural existente por uma rede mais moderna, trifaseada, com cabos protegidos e capacidade de comunicação remota.

Com a iniciativa, a Copel melhora a qualidade no fornecimento de energia para o campo, renova seus ativos e contribui para o desenvolvimento do setor agrário paranaense, um dos mais competitivos do País. Ao todo, serão R$ 2,1 bilhões em obras no programa. Este ano, o programa fechou mais de 6 mil quilômetros de redes prontas, ou 25% do total concluído em todas as regiões do Estado.

Outra iniciativa de destaque nos investimentos da Copel é o programa Rede Elétrica Inteligente, que foi lançado em 2020 e está promovendo uma automatização sem precedentes na rede do Estado. “Trata-se do maior programa de smart grid no País”, ressalta o presidente da Copel. “Somente na primeira fase, 151 municípios das regiões Leste, Centro-Sul, Sudoeste e Oeste estão recebendo a rede de distribuição de energia automatizada”.

O investimento nesta primeira etapa, de R$ 820 milhões, está levando a nova tecnologia para 4,5 milhões de paranaenses, em unidades residenciais e empresas urbanas e rurais. Com o novo sistema, as unidades consumidoras estão recebendo medidores digitais, que se comunicam diretamente com a central de operação da Copel.

A tecnologia reduz o tempo de desligamento provocado por intempéries e outros fatores externos ao sistema. Além disso, torna possível a leitura de consumo a distância e permite que o cliente tenha autonomia para monitorar seu consumo de energia, entre outros benefícios. Com a Rede Elétrica Inteligente, a leitura do consumo será online, e os clientes poderão acompanhá-la no telefone celular, em tempo real, por meio do aplicativo da Copel.

Além desses programas, a Copel está investindo em obras de modernização e expansão da rede de fornecimento de energia em todo o Paraná. São novas subestações, linhas e redes que reforçam o sistema que atende a 11 milhões de paranaenses, conferindo ainda mais qualidade ao fornecimento de energia no Estado.

GERAÇÃO E TRANSMISSÃO – Há, ainda, R$ 407,3 milhões que serão aplicados em geração e transmissão de energia no próximo ano. Em 2021, a Copel inaugurou a Pequena Central Hidrelétrica (PCH) Bela Vista, com 29,81 MW de potência instalada. Construída em tempo recorde e entregue dois anos antes do prazo previsto, a usina está instalada no Rio Chopim, entre os municípios de Verê e São João, no Sudoeste do Paraná. O investimento na mais nova hidrelétrica da empresa foi de R$ 224 milhões e a energia gerada vai atender ao consumo de 100 mil pessoas.

(AEN)