A Copa América, no Brasil, registrou até ontem (21) 140 infectados pela covid-19, entre atletas, membros de delegação, árbitros, operários e terceirizados envolvidos na competição. O dado foi divulgado pela Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol).

Segundo a confederação, foram realizados 15.235 testes do tipo PCR, para detecção do novo coronavírus, desde o início da competição, que começou em 13 de junho. Os números são organizados pelo Ministério da Saúde e a Comissão Médica da Conmebol.

A entidade ressaltou que o número de testes positivos representa 0,9% do total, e disse que os protocolos sanitários adotados “provaram ser altamente eficazes”.

“A maioria dos afetados são trabalhadores, membros de delegações e pessoal terceirizado. Em comparação com o relatório anterior, a incidência do coronavírus diminuiu, o que é um sinal claro de que as medidas preventivas e os protocolos de saúde estão funcionando conforme o esperado”, disse a Conmebol em nota.

Medidas sanitárias

Em março deste ano, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) apresentou relatório sanitário e afirmou que o futebol é “um ambiente seguro, controlado, responsável e tem todas as condições de continuar.”

Segundo dados da confederação, 89 mil testes haviam sido aplicados e mais de 13 mil atletas foram monitorados em eventos da CBF. A entidade também anunciou, na época, alterações no protocolo de 2021, como testes 72 horas antes de cada partida e 72 horas após o retorno da delegação nas rodadas como visitante se o intervalo para o jogo seguinte exceder cinco dias.