A Comissão de Economia e Finanças analisou ontem o pedido de autorização para empréstimo de R$ 28 milhões pela Prefeitura de Cascavel para comprar a estrutura do antigo Atacado Liderança. O parecer é favorável para que a prefeitura busque o recurso por meio da Caixa pelo Finisa (Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento).

“O Município tem capacidade de pagamento e endividamento”, explica o vereador Sidnei Mazutti (PSL).

Pela última prestação de contas, os empréstimos da prefeitura totalizam R$ 136 milhões e pode emprestar ainda R$ 70 milhões.

Conforme simulação com desbloqueio em novembro deste ano, o Município teria carência de 24 meses e amortização de 96 meses e de juros desembolsaria R$ 17,5 milhões até 2028 – totalizando R$ 45 milhões.

Apesar de ter o parecer favorável da Comissão de Finanças, a prefeitura terá pela frente uma linha mais dura na avaliação interna: a Comissão de Redação e Justiça, que pediu dilatação de prazo de mais dez dias para emitir o parecer.

Em 17 de outubro, às 19h, será realizada uma audiência pública no plenário da Câmara para debater com a sociedade a contratação do empréstimo para a compra do imóvel. O gabinete do vereador Fernando Hallberg (PPL) montou uma verdadeira força-tarefa a fim de convidar o máximo de interessados no assunto para opinar: mais de 100 convites serão confeccionados.

Um dos apontamentos da discussão será uma possível concorrência entre a iniciativa privada e a iniciativa pública, pois, pelo levantamento prévio da assessoria parlamentar, existem mais de 50 espaços para eventos em Cascavel com capacidade entre 100 e 3 mil pessoas. Por isso, os empresários donos de espaços para eventos estarão no plenário.

Para argumentar sobre benefícios/prejuízos do empréstimo estará na mesa o economista Leandro Mourão – perito judicial de imóveis que já recebeu um dossiê sobre a compra do imóvel.

Da prefeitura serão convidados o prefeito Leonaldo Paranhos (PSC), o secretário de Finanças, Renato Segalla, e o secretário de Planejamento e Gestão, Edson Zorek. Outras autoridades vão compor o lugar privilegiado para apresentar seus próprios argumentos: Acic, Amic, Observatório Social, Aeac, Conselho Comunitário das Associações de Moradores, Fundação Iguaçu, Sismuvel, Siprovel e Cascavel Convention & Visitors Bureau.

Falência

O prédio do Liderança foi alvo de recuperação judicial e é avaliado em R$ 44,6 milhões, com oferta mínima de R$ 28 milhões em leilão que acabou deserto. Diante da situação, a prefeitura apresentou proposta de pagar o valor em acordo amigável – decisão acatada pelos credores. Para o novo Centro de Convenções, a prefeitura planeja grandes eventos e exposições, além de pequenas convenções.