O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) já apoiou cinco projetos do Hospital de Clínicas no Paraná desde 2016. As frentes de atuação envolvem próteses para melhoria na qualidade de vida de pessoas idosas, atenção e assistência a recém-nascidos, pesquisas voltadas às células-tronco, ao diagnóstico de câncer e para tratamento de doenças.

Os apoios foram realiados por meio dos Amigos do HC, organização sem fins lucrativos e que tem o propósito de realizar ações para melhorar a qualidade de vida dos pacientes do hospital. “É de extrema importância para a instituição contar com o apoio de parceiros como o BRDE”, disse o presidente dos Amigos do HC, Pedro de Paula Filho.

“A contribuição de forma constante em nossos projetos permite que sigamos investindo em pesquisa oncológica, atendimento pediátrico e ao paciente idoso no HC, que é um hospital 100% SUS”, acrescentou.

Para o vice-presidente e diretor de operações do BRDE, Wilson Bley, fazer parte da história de um hospital tão importante para a população paranaense tem um significado especial. “O Hospital de Clínicas é referência em todo o Paraná. Por isso, temos muito orgulho em investir em projetos e propostas de inovação que trarão diversos benefícios para a sociedade”, afirmou.

PROJETOS – Entre os projetos apoiados pelo banco estão atenção e assistência ao recém-nascido, que tem o objetivo de qualificar o atendimento através da atenção humanizada à gravidez, ao parto e ao puerpério.

Ele tem o objetivo de qualificar o atendimento através da atenção humanizada à gravidez, ao parto e ao puerpério, assegurar à criança o direito ao nascimento seguro, por meio da renovação de equipamentos e mobiliários, a fim de oferecer serviços de qualidade reduzindo a probabilidade de ocorrência de danos à saúde do recém-nascido, além de impactar diretamente na morbidade e mortalidade, especialmente em bebê prematuro.

São aproximadamente 280 recém-nascidos por mês na maternidade do hospital. O auxílio do BRDE auxiliou na renovação de equipamentos, permitindo a melhoria na qualidade do atendimento do paciente recém-nascido no HC.

O projeto Prótese de Estenose Aórtica teve como objetivo oferecer alternativa terapêutica para pacientes idosos, considerados de alto risco ou inaceitáveis para a cirurgia. Como o procedimento não é coberto pelo SUS, graças ao projeto, com o incentivo do BRDE, foi possível realizar o sonho de 11 idosos, permitindo o alívio dos sintomas e aumento da sobrevida desses pacientes.

A pesquisa Caracterização dos Anticorpos Anti-HLA em Pacientes com Doenças Hemato-Oncológicas, de 2016, tinha como objetivo detectar a presença de anticorpos contra moléculas HLA alogênicas no soro de receptores de células tronco hematopoiéticas. O benefício do banco auxiliou na identificação mais abrangente de anticorpos utilizando estratégias fundamentadas na análise epitôpica.

O projeto Endoscopia Biliopancreática e Citogenética Molecular no Diagnóstico de Câncer de Pâncreas e Trato Biliarvisa avaliou o impacto do emprego de técnicas endoscópicas avançadas e da utilização de citogenética por técnica de Fluorescência por hidridização in situ (FISH) no diagnóstico de tumores biliopancreáticos. A ideia era replicar essa modalidade diagnóstica para outros centros especializados do Brasil, traduzindo em melhoria dos recursos técnicos e humanos para o diagnóstico de pacientes com tumores biliopancreáticos no âmbito do SUS.

Segundo o HC, o auxílio do BRDE permitiu ajudar profissionais pesquisadores, colocando em prática estudos e pesquisas que qualifiquem os serviços prestados pelo SUS no Paraná e no Brasil.

Por fim, o projeto Uso de Células-Tronco Mesenquimais para Tratamento da Doença do Enxerto contra Hospedeiro avaliou a segurança e eficácia do uso de células-tronco mesenquimais obtidas de doadores aparentados ou não aparentados HLA compatíveis ou haploidênticos, para tratamento de doença do enxerto contra hospedeiro aguda e crônica refratárias a corticóide e inibidor de calcineurina.

Esta doença tem consequências debilitantes com impacto na qualidade de vida dos pacientes, comprometimento funcional, necessidade de imunossupressão prolongada, levando a infecções graves recorrentes e diminuição da sobrevida. A utilização das células-tronco adultas como uma alternativa de tratamento tem sido amplamente estudada no País.

INCENTIVOS – Como agente de desenvolvimento social, econômico e cultural da região onde atua, o BRDE tem como política apoiar, através das leis de incentivos fiscais, diferentes projetos sociais, do esporte, da cultura e da saúde. A iniciativa constitui parte de sua política de responsabilidade socioambiental e compromisso com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), aplicando de forma direta recursos no Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.

O edital de seleção para os projetos que serão contemplados em 2021 já está disponível no próprio site. Os pedidos de apoio aos projetos são recebidos exclusivamente em meio eletrônico, através do Portal de Incentivos, disponibilizado no site do BRDE. No ano de 2020, foram selecionados 106 projetos nos três estados, que totalizaram R$ 4,3 milhões. Desde 2015, foram ao redor de R$ 24 milhões de repasses.