A mãe é o nosso primeiro e fundamental contato com a vida. A vida “explode” para cada um dentro da mãe. E a partir daí nos desenvolvemos.

Recebemos absolutamente tudo o que precisamos.

Se você está lendo este texto, é graças à sua mamãe!

Quem se alegra com a mãe, se alegra com a vida!

É muito comum perceber que a mãe é a pessoa que mais amamos na vida e também é a pessoa que mais julgamos e criticamos. Talvez julgamos e criticamos por termos garantia de amor ou porque achamos que ela ainda nos “deve” algo. E é por isso que se iniciam as violações.

Sempre que acontece violação em relação à mãe, ficamos um pouco vazios. Objeções, julgamentos, reclamações, críticas nos deixam mais pobres. Pobres de vida e também pobres em relação ao desfrutar da vida.

 

Se isso faz sentido pra você, leve essa percepção para sua vida, leve essa informação para seu relacionamento com a sua mãe.

Muitas pessoas que vêm para atendimentos dizem que, apesar de terem uma boa relação com a mãe, não sentem que a vida flui, têm dificuldades em algumas áreas da vida. Isso ocorre porque quase todos têm algumas “objeções” em relação à mãe ou uma memória de “amor interrompido” ou, ainda, memórias transgeracionais de rompimentos.

 

As objeções são de total responsabilidade pessoal. Objeções são julgamentos, críticas ou exigências que ainda fazemos à mãe. Toda reclamação, todo julgamento, toda exigência interrompe. E quando interrompe, perdemos a conexão, com a mãe e com a vida. E isso é muito mais comum do que possamos imaginar.

 

Já o “amor interrompido” é um trauma. Acontece quando ainda muito pequeno o filho é separado da mãe. Independente do motivo, o movimento interrompido causa danos severos. Acontece o trauma quando a mãe deveria fazer um movimento em direção ao filho e, por algum motivo, não pode ou não consegue.

Ex. Quando o bebê vai para a UTI neonatal e a mãe não pode permanecer com ele. Ou quando a mãe é internada e o filho é separado dela.

Existem muitas situações que caracterizam o movimento interrompido e isso pode ser visto e retomado em uma constelação. É possível reconectar, retomando o movimento no momento em que foi interrompido, num ambiente onde a pessoa interessada possa se sentir tranquila e segura.

 

As memórias transgeracionais são memórias do nosso sistema (pais, avós, bisavós etc.) e que atuam em nós sem nos darmos conta. Isso acontece quando existem violações nas gerações anteriores e o fluxo de amor/vida está interrompido nas relações da mãe com a avó ou ainda antes.

 

Como resolver?

Existe uma postura que apoia, uma decisão que consiste em tomar a mamãe em nosso coração tal como ela é, com amor, sem reclamação ou queixas, exigências, medos, recriminações, acusações ou reclamações. É uma Postura Ativa na qual concordamos que ela é também uma mulher comum, imperfeita e, portanto, sujeita a erros e, mesmo assim, nossa mãe.

Para isso, precisamos primeiro desistir de ser uma pessoa especial e concordarmos em ser uma pessoa comum, pois, como pode alguém especial ser filho de pessoas comuns?

 

O conhecimento liberta. Podemos aprender sobre a importância da conexão, podemos aprender e também compreender. Seja ATIVO! Assumir uma postura de total gratidão à mãe é a base do sucesso. Esse é o primeiro movimento importante e é também a base de tudo o mais, de relacionamentos bem-sucedidos e de realização no trabalho e abundância financeira.

Sim! Tudo começa com a mãe!!!

 

Além da Postura Sistêmica Ativa, a Constelação Sistêmica Familiar é o mais lindo recurso para fazer intervenções sensoriais importantes e retomar o amor e a vida.

 

Você merece viver a vida que deseja! 💙💙💙💙

 

Você sabe qual é a vida que você deseja? Você merece o melhor!

Se ainda não sabe, pense sobre isso e vislumbre o que há de melhor!