Queira você seguir o seu bloco de pessoas ou esconder-se do mundo, este é um tema importantíssimo. Afinal, não vivemos sozinhos, por mais autossuficiente que você acredite ser.

O importante é ter amigos, mas, principalmente, você é um ser humano mais amigável?

“Quem teme o Senhor terá também uma excelente amizade, pois seu amigo lhe será semelhante.” Eclesiástico 6, 17.

São Tomás de Aquino definia a amizade como querer as mesmas coisas e rejeitar as mesmas coisas.

Para com essas pessoas, devemos agir com caridade.

A verdadeira amizade está no mesmo querer e o mesmo não querer, tanto mais agradável quanto mais sincero.

Uma máxima é verdadeira: todos devemos buscar pessoas com quem compartilhamos os valores mais parecidos. Por outro lado, isso não quer dizer que você deva ignorar e cortar laços com aqueles que ousem não partilhar das suas aspirações mais elevadas.

Tipo aquele jovem politizado que começa a virar a cara para os parentes, de visão política diferente ou alguém convertido que passa ao olhar torto para os amigos, que agora vê como promíscuos demais.

Ainda, simplesmente de você, que conheceu a bioliderança® e passou a servir, ser ainda mais forte, não encher o saco e trabalhar duro para alcançar seu propósito e agora não suporta mais aquele seu cunhado sem-vergonha.

Você deve acordar para a vida. Não temos mais o Carnaval para você viver no mundo da fantasia em 100% do tempo. Você veio a este mundo para amar as pessoas, não para julgá-las.

Noutro dia, as mesmas pessoas que hoje você nutre afetação e superioridade provavelmente seriam aquelas a quem você recorreria se perdesse o emprego, precisasse de um dinheiro emprestado ou de um lugar para ficar por uns dias.

São as mesmas pessoas que, um dia, te acolheram, cuidaram e interpretaram papéis importantes na narrativa da sua vida.

Prezado leitor, entenda isto: aquele seu amigo que “está na mesma depois de tantos anos” não precisa de sua lição de moral, mas da sua atenção e dos seus ouvidos. Sua avó não precisa de suas opiniões reluzentes, mas de seus beijos.

Peço-lhe uma reflexão, que pense em alguém que você vive julgando mentalmente, mas que já fez por você mais do que você fez por ele. Neste momento, não entre em pânico se a pessoa que vem à sua cabeça é seu pai ou sua mãe. Ainda dá tempo.

Que tal entrar em contato com essa pessoa?

Na fonte sagrada, tivemos história de alguém que virou pedra. Não seja você o coraçãozinho de pedra. Ao entrar em contato, apenas diga: “Oi, há quanto tempo, lembrei de você e quero saber como é que você está”.

Na Bioliderança®, os indivíduos imaturos obtêm acesso a informações vitais para a maturação e a evolução. A verdadeira amizade e compaixão fazem parte dessa construção.


Juliano Gazola é fundador da Bioliderança® no Brasil, business executive coach, reprogramador biológico

Siga minha página no Instagram @jggazola