COLUNAS

Coluna Juliano Gazola: Por que a pressa?

12 de março de 2022 às 08:15
Publicidade

 

Imagine alguém que lhe confia algumas palavras ou versos, que vê em você uma referência como mentor.

Então, você dedica-se a responder ou tecer crítica à composição de quem lhe confiou. Imagine que seu texto tenha sido tão amável e sincero, que a outra pessoa mal tenha sentido o peso da crítica.

Ao contrário, você e o autor original dos versos iniciam uma excelente e verdadeira amizade, ainda que por correspondência. Tal cena faz parte do livro Cartas a um jovem poeta, de Rainer Maria Rilke. Em uma das cartas que Rilke enviou ao poeta juvenil, dizia:

“O senhor é tão moço, tão aquém de todo começar que lhe rogo, como melhor posso, ter paciência com tudo o que há para resolver em seu coração.”

O poder da recomendação de Rilke, é uma das virtudes mais cruciais para qualquer ser humano que deseja fazer algo de relevante nesta vida: a paciência. É bem verdade que tal virtude, anda escassa nos dias de hoje, pois, basta um clique na rede social, que prontamente temos solução para tudo.

Culpamos o nosso ritmo frenético do dia a dia pela falta de paciência. Convoco-lhe a refletir se o real motivo pela falta dela esta na falta de amor. Amar está conectado a cada esforço, cada tempo despendido numa tarefa, seja no estudo, na malhação dos músculos, no trabalho.

Quando seus defeitos aparecem, mas não são julgados, nas piores cortes supremas do seu pensar. Quando você tem amor, aí que a paciência entra em erupção. Bate uma reflexão profunda em meu coração, que também é iniciante com as palavras sobre o trecho “ter paciência com tudo o que há para resolver em seu coração”.

Se você é uma pessoa paciente em diferentes áreas da vida, assim como possui objetivos realistas, pois podem ser de fato realizados. Salomão, grande fonte de inspiração diária, citou “Mais vale a paciência que o heroísmo, mais vale quem domina o coração do que aquele que conquista uma cidade” em Provérbios 16.32.

Correr contra o tempo e não atingir, não ser ágil o suficiente para acompanhar ou competir pode afetar sua tireóide, glândula muito sensível aos nossos sentimentos de impotência por não conseguir algo. Eu mesmo tenho sofrido, quando me envergonho quando leio coisas que não compreendo. O que me resta? Atualizo o driver de consistência, enfrento a humilhação e permaneço, pois em algum momento, entenderei.

Será que um sensível toque no botão da paciência é o que lhe falta para alcançar as suas realizações? É possível medir a força desta virtude em você?

Um teste rápido para nossa reflexão: você fica ansioso quando as pessoas não lhe respondem as mensagens de celular?

Nos últimos 6 meses, você está dedicando-se à empresa e não entende como ainda não lhe promoveram?

No Twitter, lê uma frase e já corre para dar sua opinião? Sendo sim, em todas estas perguntas, fica claro que lhe falta paciência.

Reflita sobre o que você pode fazer durante um dia, uma semana, seis meses, um ano. Dentre o que refletiu, escolha o item mais realista e comece. Um poeta não é coisa que se faz em um ou dois anos….

Participe do nosso grupo no WhatsApp

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE