Guedes foge do relatório

O ministro da Economia, Paulo Guedes, foi curto e grosso ao ser indagado pela CPI da Pandemia se ele e sua equipe apostaram na chamada “imunidade de rebanho” como forma de controlar o Covid-19. E fez o possível, na resposta, para se livrar de eventual indiciamento no relatório final, apesar de algumas declarações polêmicas. No ofício (SEI Nº 440/2021/ME) encaminhado à comissão, Guedes diz não “ter formação acadêmica na área de saúde que permita ter opinião pessoal quanto a qualquer tema relacionado à imunidade contra infecções”. Em abril, durante reunião do Conselho de Saúde Suplementar, Guedes criticou a Coronavac (“menos eficiente do que a desenvolvida por laboratórios dos Estados Unidos”). Por essas e por outras, senadores passaram a defender o pedido de indiciamento de Guedes no relatório final da CPI.

 

Rebanho?

O fio da investigação da CPI é a declaração de Adolfo Sachsida, secretário de Política Econômica. Ele afirmou que o País caminhava para a “imunidade de rebanho”.

 

Euuu!?

Segundo ele, era “baixíssima a probabilidade de segunda onda”. Guedes também diz que não semanifestou “de modo a dificultar a adoção de qualquer imunizante no Brasil”.

 

Logística palaciana

O governador Cláudio Castro segue na agenda de receber grandes empresários em prol da economia do Rio de Janeiro. Almoçou na sexta com Rubens Ometto, dono do Grupo Cosan, maior investidor privado de energia do País.

 

Quarteto fanático

Um novo marqueteiro do presidente Bolsonaro já circula pelo Palácio aprendendo o jeito Jair de ser. A estratégia para a tentativa de reeleição, porém, passará pelos crivos de Carlos Bolsonaro (o mentor da candidatura em 2018), de Olavo de Carvalho e de Steve Bannon. Livre da cadeia nos Estados Unidos, o marqueteiro de Donald Trump deve circular por Brasília.

 

Aliás..

.. Olavo de Carvalho sumiu das redes sociais, diferente da dinâmica anterior de aparições diárias com frases polêmicas e vídeos longuíssimos. Ele continua no Brasil em tratamento de saúde, e quietinho, observando o cenário. Dando pitacos pessoalmente ou por telefone para seus seguidores mais próximos.

 

Divisão

Eduardo Bolsonaro manda no MEC e na Cultura; Carlos, na Comunicação e na EBC; e o senador Flávio tem palavra final nas diretorias dos bancos estatais.

 

Foi pro espaço

Causou estranheza aos deputados da Comissão de Educação da Câmara a declaração do ministro Marcos Pontes, da Ciência e Tecnologia, de que fora “pego de surpresa” com o corte do Governo em verbas para a ciência. Dois dias antes de o Congresso passar a tesoura no orçamento da pasta (R$ 600 milhões), Pontes foi ao Planalto e conversou com o presidente Jair Bolsonaro por mais de uma hora.

 

Talkey, PG

Um dos temas da reunião foi justamente a intenção do Ministério da Economia de remanejar os recursos. E na véspera da votação, quinta-feira (7), esteve no gabinete do presidente o ministro da Economia, Paulo Guedes, que bateu o martelo sobre o corte, com o “talkey” de Bolsonaro.

 

Bolsa na Alemanha

A alemã Hertie School, das mais respeitadas escolas internacionais de gestão pública, ampliou por mais 5 anos sua parceria para bolsas de estudos voltadas a funcionários públicos do Brasil. Mais aqui: https://republica.org/ e www.hertie-school.org

 

Praia, rio e livros

O vilarejo praiano de Caraíva vai ganhar sua festa literária. É a CAJU – Caraíva Juvenil, sob tutela da jornalista Joana Savaglia. A Lei Rouanet autorizou captação de R$ 200 mil. A biblioteca da vila tem o melhor acervo do sul da Bahia.