Coluna Bandeirada: Brasileiro de Kart, Catarinense de Automobilismo e Paranaense de Enduro

Pedro Clerot estreia na categoria Júnior

Bicampeão brasiliense e pole no último Campeonato Brasileiro de Kart, disputado em Cascavel, Pedro Clerot (Q7 Produções) abrirá em grande estilo a temporada, quando fará sua estreia na categoria Júnior. No Kartódromo Speed Park, em Birigui (SP), o piloto disputará o 1º Troféu Ayrton Senna de Kart, competição preparatória para os grandes desafios que o jovem brasiliense terá pela frente em 2020. As provas serão amanhã e sábado.

Foto:Divulgação

Catarinense começa dia 2

O Campeonato Catarinense de Automobilismo (Velocidade na Terra) terá início no dia 2 de fevereiro no Autódromo Cavalo de Aço, em Joaçaba. Serão disputadas as categorias Kartcross, Autocross, Marcas, Stock Car Ômega e Opala e Marcas Serrana. A promoção e a organização são do Automóvel Clube de Joaçaba, com supervisão da Fauesc (Federação de Automobilismo do Estado de Santa Catarina).

 

Ponta Grossa abre o Paranaense de Enduro

O Campeonato Paranaense de Enduro FIM 2020 será disputado em oito etapas e a abertura já tem data e local para acontecer. Será no dia 15 de março em Ponta Grossa, a 110 quilômetros de Curitiba. Um dos eventos deste ano também será válido pelo Brasileiro da modalidade.

A expectativa é de iniciar em grande estilo, numa prova que exigirá técnica dos competidores ao longo de suas quatro especiais, incluindo um cross teste, em terreno arenoso e com vários obstáculos. Serão realizadas quatro voltas, sendo uma de reconhecimento, com aproximadamente 20 quilômetros cada.

Mais de 120 pilotos devem prestigiar a disputa e dentre os confirmados está Rômulo Bottrel, campeão da E1 em 2019. “Estou realmente animado com este ano, que será meu primeiro na nova equipe, a Pro Tork Racing Team. Quero correr todas as etapas, sempre buscando os melhores resultados e ganhando ritmo para acelerar, ainda, no campeonato nacional”, destaca.

O palco do encontro será o CT do Edinho, na localidade de Guaragi, interior do município. Ele oferece ótima estrutura, com área para camping, vista ao cross teste e praça de alimentação, que terá churrasco entre as opções do cardápio. A entrada ao público é gratuita e o estacionamento custa R$ 10.

A prova é realizada pelo Ponta Grossa Moto Clube, com supervisão da Federação Paranaense de Motociclismo, e também será válida como abertura da Copa PGMC. As inscrições antecipadas estarão disponíveis em breve, custando R$ 140 à competição local e R$ 150 para participantes do estadual. Mais informações podem ser obtidas com Walus, membro da organização, pelo telefone (42) 99967-3181.

Rômulo Bottrel, campeão da E1 no ano passado, já confirmou presença na abertura da temporada de 2020 – Foto: Divulgação

 

Mil Milhas terá largada à meia-noite

O clima de uma prova de longa duração do automobilismo brasileiro volta ao Autódromo de Interlagos, em fevereiro (dia 15) deste ano, com todas as doses de emoção, competitividade e estratégia no trabalho de equipe, revivendo os grandes momentos do passado do automobilismo brasileiro.

A promotora Elione Queiroz e a Fasp (Federação de Automobilismo do Estado de São Paulo) formaram a parceria para esta empreitada que traz de volta o glamour de uma prova longa com a duração de aproximadamente 11 horas varando a noite de sábado para domingo em Interlagos.

A garantia das emoções da nova versão das Mil Milhas começa pelo fato de ter a largada marcada para a meia-noite do sábado, com a previsão de 373 voltas no circuito de 4.309 metros de extensão para completar as 1.000 milhas, equivalentes a 1.609 quilômetros. O limite de duração da prova é de 11 horas.

Nas Mil Milhas do Brasil, os carros estão classificados em 13 categorias, sendo uma Geral e 12 outras que vão desde protótipos que disputam o Brasileiro de Endurance de até 800 cavalos até os Spyder com motor AP de 180 cavalos passando por vários outros modelos do Turismo Nacional com motores até 2 litros aspirados ou turbinados.

Os amantes do automobilismo conhecem bem o clima de uma prova longa como os 500 Km de Interlagos, as 12 Horas de Goiânia, as 6 Horas de Tarumã, os 1.000 Km de Brasília, as 500 Milhas de Londrina e outras.

Sempre é lembrado pelo torcedor do esporte a motor que a emoção maior está nos pits stop, onde o trabalho de equipe é acompanhado com atenção pela precisão de cada momento e da técnica de reabastecimento, troca de pneus, revisão das partes do carro, possíveis reparos e até a troca de pilotos.

Um carro com no mínimo dois pilotos ou no máximo quatro exige uma equipe de pelo menos dez mecânicos experientes que viram a noite com a adrenalina da competição.

Só para lembrar, por regulamento da FIA, o piloto pode guiar no máximo três horas e descansar obrigatoriamente por uma hora e meia (tempo controlado pela cronometragem oficial e com direito de punição pela direção da prova).

 

 

 

 

 



Fale com a Redação

cinco × cinco =