Coluna ADI do dia 13 de junho de 2019

Apoio a Moro

O senador Oriovisto Guimarães (Pode-PR), em nome dos três senadores paranaenses e dos noves senadores do partido, manifestou total apoio ao ministro Sergio Moro (Justiça e Segurança Pública) sobre o que chamou de “investidas e manobras contra o ministro e a Operação Lava Jato”. Oriovisto repudiou a ação que chamou de criminosa. “A coisa mais normal do mundo… conversas entre juízes e procuradores, e o que o senhor está sofrendo é manobra orquestrada por pessoas que procuram desestabilizar o governo e a nação. Conte conosco”. Moro agradeceu a solidariedade e disse que há uma sensação estranha de um site que publica algo em pedaços, com base em conteúdo hackeado do telefone. “Agradeço o apoio dos senadores e as investigações estão em andamento para esclarecer os fatos”, disse Moro.

Boa conduta

“Se verdadeiras essas mensagens, deveriam se constituir em atestado de boa conduta a Moro e Dallagnol… não há nenhum fato escuso que os condene, que os incrimine, que deponha contra a honra desses agentes públicos. A primeira palavra deve ser de condenação à criminosa invasão à privacidade, que é assegurada constitucionalmente. Os invasores devem ser responsabilizados. Eles são criminosos” – do senador Alvaro Dias (Pode-PR), sobre o vazamento das mensagens do então juiz Sergio Moro e o procurador Deltan Dallagnol.

Liberação dos Jogos

Levantamento do Instituto Paraná Pesquisas aponta que a maioria dos deputados federais (52,1%) é a favor da liberação dos jogos de azar – cassinos, jogo do bicho, bingos, videojogo e jogo online. Contrários somam 40,8 e 7% não opinaram. Os favoráveis defendem que os cassinos sejam localizados em cidades turísticas (40%), em cidades de IDH baixo (21,6), em qualquer cidade (8,4%). Os contrários acreditam que a liberação de cassinos facilita a lavagem de dinheiro (20,6%), vicia (17,2%), motivos religiosos (10%), entre outros. As entrevistas foram feitas com 238 deputados de 27 a 31 de maio.

Voto distrital

O Tribunal Superior Eleitoral entregou à Câmara dos Deputados proposta de reforma do sistema e legislação eleitoral. O projeto propõe a implantação, em cidades com mais de 200 mil habitantes, já nas eleições municipais de 2020, do sistema eleitoral distrital misto no Brasil, inspirado no modelo alemão. O sistema distrital misto prevê que metade das Câmaras, das Assembleias Legislativas e da Câmara dos Deputados seja eleita por meio do voto distrital, ou seja: ocupam os assentos os que forem mais votados nominalmente.

Cidadã do Paraná

O deputado Fernando Francischini (PSL) propôs para a ministra Damares Rodrigues Alves (Mulher, Cidadania e Direitos Humanos), o título de cidadã benemérita do Paraná. Francischini diz que Damares desenvolve amplo trabalho “em prol da proteção das mulheres, da infância, do combate à pedofilia e da promoção dos direitos humanos”.

Encontro com deputados

A Ocepar reuniu os deputados federais paranaenses e debateu projetos que tramitam no Congresso – ao todo, são 1.415 – que afetam de forma positiva ou negativa o cooperativismo brasileiro. O presidente José Roberto Ricken disse que a iniciativa traz uma sintonia mais afinada com os deputados e sua base. A Ocepar vai fazer a ponte entre o trabalho do deputado e o eleitorado das cooperativas.

Paraná Cooperativo

A partir da edição de julho, a revista Paraná Cooperativo vai publicar uma seção com a divulgação das atividades dos parlamentares paranaenses na Frente Parlamentar do Cooperativismo. A frente é composta por 264 deputados, dos quais 22 do Paraná, e 37 senadores, entre eles, os três paranaenses.



Fale com a Redação

catorze − 9 =