A chuva que caiu no início da tarde de ontem espantou muitos participantes da 18ª Pesca no Lago em Cascavel. Mesmo assim, o evento levou cerca de 10 mil pessoas ao Lago Municipal e foi considerado um sucesso pelo secretário de Meio Ambiente, Rômulo Quintino: “Às 6h já tinha fila de gente esperando para pescar. Mais de 5 mil pessoas vieram participar do evento, sem contar as que vêm para passar o dia ou acompanhar familiares. A chuva espantou boa parte do público, mas de forma geral foi muito bom, a população mostra que gosta do esporte”, disse, e adianta uma novidade: “Nós recebemos muitos pedidos para que o evento ocorra em mais datas ou em dois dias seguidos. Estamos estudando a alternativa mais viável, já que é necessária toda uma estrutura para fazer a pesca acontecer. Mas é muito provável que façamos duas edições do evento por ano, um em março ou abril e outro nesta época de fim de inverno”.

A notícia foi comemorada pelo vidraceiro Gilson André, que já participou de outras edições e, apesar de não ter pescado nada até o início da chuva, disse estar satisfeito com o evento. “Em três horas não conseguimos pegar nada, mas de qualquer forma estamos nos divertindo. É um evento diferente, que reúne gente de todas as idades e deve acontecer mais vezes”.

Um grupo de colombianos que estava de passagem por Cascavel aproveitou: “Chegamos cedo, trouxemos tudo para almoçar aqui e, apesar de pescar dois peixes pequenos, estamos muito felizes de passar o domingo com essa vista incrível. Sem dúvida vamos levar boas lembranças para a Colômbia”, disse o comerciante Luis Cárdenas.

Nair da Silva tem quase 89 anos e aproveitou o domingo para tentar a sorte no Lago Municipal. Apesar da dificuldade em fisgar um peixe, ela não perdeu o ânimo: “Gosto muito de pescar e espero pegar um peixinho para fazer com polenta, que é muito bom”.

Teve quem resistiu à chuva na esperança de levar para casa o almoço da semana: “A chuva não assusta, só diminui a concorrência. Enquanto muita gente vai embora, eu vou ficar e garantir pelo menos uns três peixões que minha esposa pediu”, brincou o repositor de estoque Andemir de Médice.

Boa ação

O evento tem caráter social: 5 mil quilos de alimentos foram arrecadados com as inscrições para o evento e serão doados ao Provopar (Programa de Voluntariado Paranaense).

Premiação

A premiação para os pescadores das 11 espécies mais pesadas retiradas do lago durante o evento estava marcada para as 17h de ontem, mas será remarcada por conta da chuva. Os peixes mais pesados de cada espécie receberão premiação. Os maiores peixes foram listados, mas o nome dos vencedores ainda não foi divulgado:

Espécie – Peso em gramas
1 – Curimba – Prochilodus lineatus – 3.360
2 – Curimba – Prochilodus lineatus – 3.195
3 – Curimba – Prochilodus lineatus – 2.545
4 – Traíra – Hoplias malabaricus – 2.200
5 – Tilápia – Coptodon redalli – 1.540
6 – Piapara – Leporinus – 1.325
7 – Tilápia – Oreochoromis niloticus – 1.245
8 – Bagre – Rhamdia quelen – 1.215
9 – Mussum – Simbranchus marmoratus – 795
10 – Cará – Geophagus brasiliensis – 245
11 – Lambari – astyanax – 37,5

Cancelamentos

A chuva também atrapalhou a realização outros dois eventos. O tradicional Domingão no Calçadão foi cancelado, e o Rocão, evento beneficente que mistura música e arrecada verba para a causa animal, deve ser remarcado.