ESPORTES

CBF pede para que jogo entre Corinthians e Boca seja investigado

25 de junho de 2015 às 16:36
Publicidade

Rio de Janeiro – A CBF (Confederação Brasileira de Futebol) anunciou nesta quinta-feira (25) que enviou um ofício à Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol) para que sejam apuradas as suspeitas de irregularidades na partida entre Corinthians e Boca Juniors, pelas oitavas de final da Libertadores de 2013.

“O caso é grave e precisa ser apurado. Temos um clube brasileiro que pode ter sido prejudicado e é dever da CBF defendê-lo até as últimas consequências. Temos plena confiança na Conmebol e no presidente Juan Angel Napout e temos certeza de que tudo será esclarecido”, afirmou o presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, em comunicado no site oficial da entidade.

As suspeitas em relação à partida entre Corinthians e Boca Juniors tiveram início depois que foram divulgadas as escutas telefônicas envolvendo Julio Grondona, então presidente da AFA (Associação do Futebol Argentino), que morreu em 2014, e Abel Gnecco, representante argentino no comitê de árbitros da Conmebol, dois dias depois do jogo.

“Estive falando com Alarcón e ele me disse: 'Estão querendo o Amarilla aí na Argentina?'”, começa Gnecco no relato a Grondona.

E ele teria respondido ao paraguaio:

“Olha, se querem eu não sei, eu quero. Coloque ele e deixe de me encher o saco. Alarcón, ponha o Amarilla e deixe de me ferrar”.

Gnecco continua seu relato para Grondona, comemorando a decisão:

“Bom, foi assim, ele colocou… E saiu bem porque, bem, tem de ser assim”.

Depois de divulgadas as conversas, a Conmebol anunciou o afastamento do árbitro paraguaio Carlos Amarilla e dos assistentes Rodney Ubaldo Aquino Maldonao e Carlos Santiago Cáceres Zárate, que também trabalharam naquela partida, que terminou em 1 a 1 e classificou o Boca Juniors.

(Com informações do UOL Esporte)

Participe do nosso grupo no WhatsApp

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE