Cascavel – Primeiro treinador do Cascavel Futsal em 20 anos, Cassiano Klein chegou à Capital do Oeste paranaense na noite de segunda-feira, reuniu-se com dirigentes e demais integrantes da comissão técnica na tarde de ontem hoje já terá sua primeira atividade na nova equipe, com a observação em ação dos jovens talentos da cidade, a partir das 16h30, no Ginásio da Neva.

Klein, de 36 anos e gaúcho de Machadinho, assinou por três anos com a equipe cascavelense, depois de ter ficado por seis temporadas no Joaçaba (SC), na qual iniciou a carreira de atleta e depois voltou como treinador para levar o time à elite do Catarinense e sair como vice-campeão de 2018.

Do adversário na final, o campeão Tubarão, Cassiano levou consigo para o Cascavel Futsal o assistente técnico Eliabe de França Figueiredo, de 20 anos, novidade na comissão técnica, assim como o preparador físico Márcio “Batuta” Ferreira, que estava no futsal russo e que chegará sábado ao pentacampeão paranaense – o supervisor Paulo Rocha, o preparador de goleiros Gilmar Costa e massagista Mangaba renovaram.

Klein e França, que foram atletas da base de Joaçaba e Tubarão, respectivamente, estarão reunidos hoje, amanhã e sexta-feira com o técnico Edemilson Pereira, que treina a equipe cascavelense para os Jogos da Juventude, na categoria sub-18, para monitorar jovens que no futuro possam fazer naturalmente a transição para a categoria adulta.

A ideia do treinador é que em períodos curtos, com poucos e diferentes jogadores a cada semana, jovens participem dos treinos no Cascavel Futsal, o que seria uma “ponte” para o atleta subir de categoria.

BOX

Categorias de base

“É fundamental termos categorias de base. Com certeza temos aqui em Cascavel vários jogadores com talento e promissores, com capacidade e qualidade. Claro que para se jogar a Série Ouro e a Liga tem que haver a transição, temos que ser justos com o atleta. Então, a primeira ideia é identificar os potenciais que temos na cidade. Vamos trabalhar somente com esses jovens nos próximos dias, com foco total neles, para sermos justos e conseguir avaliar, explicar, ver vídeos, enfim, ter um tempo nosso, porque a ideia, a longo prazo, é ter meninos aqui de Cascavel e também da região que consigam atuar no profissional. É um trabalho com calma, paciência e cautela, porque não se forma um jogador de altíssimo nível em pouco tempo”, explica o técnico Cassiano Klein.