O brasileiro Marcelo Medeiros, da Tagracing Team, concluiu ontem a nona etapa do 44° Dakar na quinta posição entre os Quadriciclos FIM. Por causa de um capotamento, pouco antes do ponto de controle do km 241, o maranhense completou os 287 quilômetros de trecho cronometrado em 3h35m51s. Penalizações aplicadas a seus concorrentes no final do briefing da noite de segunda-feira e no final da prova desta especial, fizeram o titular da Yamaha Raptor 700, #183, subir dois degraus na tabela de classificação da competição, ficando agora na sétima posição e somando 60h39m28s.

A nona especial do 44º Dakar teve percurso em forma de laço ao sul de Wadi Ad-Dawasir e começou mais tarde do que o normal, para manter os retardatários do dia anterior no jogo. A resistência dos competidores e de suas máquinas foi um fator decisivo. A presença de montanhas, seguidas de trilhas que serpenteiam os canyons (33% da prova), exigiu uma abordagem diferente na pilotagem. Apesar das areias e dunas serem em menor quantidade, em comparação com as etapas anteriores, ainda dominou a prova do dia (77%), considerada difícil até pela navegação.

Medeiros foi o segundo a partir da largada e tomou a dianteira já nas duas primeiras zonas de controle – km 40 e km 80. Entre o segundo e terceiros pontos do trecho cronometrado, o argentino naturalizado americano, Pablo Copetti, ultrapassou o maranhense e passou a liderar a competição. Marcelo passou a ficar na cola de Coppeti, com intervalo variando na casa do 1m25s. Pouco antes do último “waypoint”, do km 241, ao atravessar uma duna, o piloto da Tagracing Team sofreu um incidente e perdeu 12m16s para colocar o Yamaha Raptor de volta a trilha.

“Eu vinha bem, administrando minha posição, mas quase no fim da prova tive esse contratempo. Encontrei uma duna que quebrava em 90 graus e caí embicado no areão, capotando. Estou bem e o quadri só teve danos na carenagem dianteira. Minha equipe vai ter um pouco de trabalho, mas vamos com tudo para concluir as etapas que restam deste Dakar. Apesar deste aperreio, estou satisfeito com o resultado e focado em meu objetivo”, contou o piloto maranhense.

Nesta quarta-feira, a caravana do 44º Dakar segue para Bisha, onde permanecerá até sexta feira, véspera da final. A décima especial desta edição promete ser uma das especiais mais rápidas. Os competidores precisarão ter em mente que pressa gera desperdício, especialmente quando se trata de navegar pelas inúmeras interseções, que são a marca registrada das rotas sauditas. Os cenários serão particularmente agradáveis aos olhos. Uma rica tapeçaria de paisagens e cores deixará os espectadores maravilhados.