COTIDIANO

Banco do Brasil fez apresentação do Plano Safra 2019/20 no Sindicato Rural de Cascavel

28 de junho de 2019 às 10:45
Publicidade

Em eventos coordenados em todo o país, o Banco do Brasil apresentou na quinta-feira (26), aos produtores rurais o Plano Safra do Governo Federal para 2019/2020. Em Cascavel, o local escolhido foi o Sindicato Rural, que ficou lotado de agricultores e empresários do agronegócio. Os participantes foram recebidos com um café da manhã pela diretoria da entidade. Representado o Banco do Brasil, estiveram presentes o gerente da agência Estilo do BB em Cascavel, Elondir José Biazibetti; o gerente geral da agência Cascavel, Alexandre Negri Julião da Silva; a gerente geral agência Migrante, Anisia Cristina Wilhelm; o gerente de Agronegócios, Leandro Capuzzo; o gerente de Relacionamento Private, Joel de Andrade Torres Neto; e lo assessor da Superintendência Comercial de Cascavel, Fedrigo Raymundi.

Para safra 2019/2020, o Banco do Brasil anunciou o volume de R$ 103 bilhões, sendo R$ 91,5 bilhões para o crédito rural e R$ 11,5 bilhões para o crédito agroindustrial. Na visão segmento, o Banco disponibilizará R$ 14,10 bilhões para a Agricultura Familiar, R$ 77,40 bilhões para demais produtores. Os valores para recursos se mantiveram, com um pequeno aumento de 0,5% em algumas taxas de custeio e manutenção. Já nos valores de investimentos, houve um aumento de 1%.

O gerente regional de Agronegócios do Banco do Brasil, Leandro Capuzzo, fez a apresentação técnica dos números, detalhando valores para cada segmento de mercado. “A principal novidade foi o aumento do valor da subvenção do recurso ao seguro rural, que no ano passado foi de R$ 400 milhões e este ano chegou a R$ 1 bilhão. Essa era uma reivindicação antiga dos produtores rurais, que foi atendida nesse novo plano”, destacou. “Tivemos também a volta da agricultura familiar ao Plano Safra, que há 20 anos era competência do Ministério do Desenvolvimento Agrário˜, afirmou Leandro. Para atendimento diferenciado aos clientes produtores rurais, o Banco do Brasil dispõe de 712 carteiras especializadas, gerenciadas por profissionais capacitados e treinados para apresentar as melhores soluções de crédito agropecuário, além de auxílio e consultoria nas atividades financeiras, nos diversos ciclos da atividade dos clientes.

Para o presidente do Sindicato Rural de Cascavel, Paulo Roberto Orso, o novo Plano Safra trouxe novidades muito boas. “Primeiro, não tem mais aquela distinção de agricultura familiar: todos são privilegiados, independente da categoria em que se encontra. O valor foi praticamente o mesmo do ano passado, mas dentro das dificuldades de recursos, veio contemplar uma expectativa da classe produtora”, afirmou. Para ele, os valores ficaram muito próximos daquilo que era esperado pelas entidades representivas, como sindicatos e Federações da Agricultura. Orso salienta também a importância do aumento da subvenção do seguro agrícola. “Esse aumento de R$ 400 milhões para R$ 1 bilhão é extremamente importante, pois o agricultor pode investir com segurança a um custo menor˜, destaca. O próximo passo, segundo Orso, é buscar a subvenção estadual, para que o produtor rural possa fazer o maior investimento possível com tranquilidade e segurança. ˜Quem ganha com isso não é somente o produtor rural e sim o Paraná e o Brasil”, destaca.

Os produtores rurais também ficaram satisfeitos com os números apresentados pelo Banco do Brasil. Para Jadir Saraiva de Rezende, que trabalha com pecuária e plantio de eucaliptos em Coxim/MS, o aumento de 1% em algumas taxas não é significativo no montante. “São números muito positivos, que mostram que o Governo Federal entende a sua importância para o desenvolvimento e trabalho do produtor rural”, afirmou. Jadir afirma que o Plano Safra é fundamental para o desenvolvimento e trabalho do produtor rural e impacta toda a cadeia produtiva.

O secretario de Agricultura Ney Haveroth também prestigiou o evento. Para ele, havia uma expectativa muito grande em função das incertezas do Governo Federal em divulgar as novas propostas. “Esperávamos a redução dos juros, mas tivemos um pequeno aumento em alguns segmentos. Mas o aumento do seguro agrícola dá uma segurança para a produção do município. E o governo manteve os niveis de investimentos, fazendo com que os agricultores possam trabalhar com tranquilidade”, afirmou o secretário.

Para Elondir José Biazibetti, gerente geral da agência Estilo do Banco do Brasil em Cascavel, com esses números a instituição reforça o seu compromisso como o maior parceiro do produtor rural, oferecendo ao cliente experiências de crédito simplificadas e convenientes, amparadas em um processo ágil para a contratação de financiamentos e demais serviços. “O Banco do Brasil continua sendo e sempre será o maior parceiro do agronegócio brasileiro”, afirmou.

Participe do nosso grupo no WhatsApp

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE