Na manhã desta terça-feira, o Engenhão foi palco de uma das cenas mais
comentadas no atletismo nos últimos anos. Assim que chegou para a sua prova, na
segunda bateria das eliminatórias dos 100m com barreiras, a australiana Michelle Jenneke, de 23 anos, fez sua principal marca. Em
vez de se alongar com olhar concentrado, conforme fazem a maioria dos
corredores, ela abriu um sorriso, colocou as mãos na cintura e deu uns pulinhos
sincronizados para iniciar sua dança costumaz.

? Entrar no estádio foi incrível. É a minha primeira Olimpíada, estava
gostando de tudo. A atmosfera estava muito boa. Muito legal ver a torcida
brasileira, e ver como eles ficam loucos no estádio ? disse ela, com um largo
sorriso mesmo indo mal na prova. ? Estou um pouco desapontada com o meu
resultado (penúltima da bateria), mas sou jovem, ainda estou na universidade, e
tenho um longo caminho pela frente ainda.

Mesmo depois de não ter conseguido a vaga na semifinal, a alegria de Michelle continuava contagiante. No meio de sua
entrevista com os jornalistas australiano, chamou a atenção a invasão de um
repórter norueguês que perguntou porque ela era a atleta do atletismo mais
famosa na Noruega. Neste momento, Michelle
trocou o sorriso pela gargalhada.

? Eu nunca estive na Noruega antes, mas quando eu for até lá tento
descobrir.

Michelle ficou famosa no Mundial
Júnior de Atletismo, em 2012, quando um vídeo de sua dança ganhou repercussão
mundial. A beleza e a alegria da jovem atleta viralizou na internet. Quatro anos depois, no
Engenhão, ela repetiu exatamente os mesmo passos de dança